Frente de resistência diz que boicotará eleições em Honduras

José Donizete Enviado Especial

Tegucigalpa (Honduras) - A frente de resistência ao golpe de Estado que destituiu o presidente Manuel Zelaya confirmou hoje (15) que não vai apoiar nenhum candidato e que boicotará as próximas eleições nacionais, marcadas para o dia 29.

Segundo um dos líderes do movimento Juan Baraúna "a resistência vai ignorar as eleições porque votar agora seria apoiar os golpistas". Baraúna ainda afirmou que a prioridade da resistência nesse momento "é lutar por uma nova constituinte".

As declarações do líder do movimento foram dadas logo depois de uma assembleia geral, na sede do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Bebidas, na capital Tagucigalpa.

Outro tema que tomou conta da reunião de hoje foi a carta enviada por Zelaya ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. No texto, Zelaya disse que não aceitava mais a restituição à Presidência hondurenha.

O governo golpista, chefiado por Roberto Micheletti, considerou que a carta seria uma "demonstração de fraqueza do presidente deposto, que estaria cada vez mais solitário na intenção de voltar ao poder".

As pessoas estão confusas com o teor da carta, até mesmo os integrante da frente de resistência, por isso é aguardada uma declaração oficial de Zelaya para esclarecer melhor o texto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos