Diretor de TV pró-Zelaya acusa governo de Honduras de interromper sinal de canal

Do UOL Notícias* Em São Paulo

O diretor do canal de televisão hondurenho Cholusat Sur disse que o governo de Roberto Micheletti interrompeu o sinal da emissora até deixá-lo fora do ar. O executivo Esdras Amado López fez a denúncia a jornalistas nesta sexta-feira (20). A emissora é um dos poucos meios de comunicação em Honduras que rechaçou o golpe de Estado contra o governo de Manuel Zelaya.

"O canal está fora do ar porque o sinal foi interrompido pelo sinal de um transmissor paralelo alheio", disse López. O empresário considera que o atual regime pretenda tirar a emissora do ar devido à proximidade com as eleições de 29 de novembro.

Ele afirmou que a programação da emissora foi substituída por filmes pornográficos e faroeste. Os responsáveis pela mudança seriam "terroristas pagos pelo governo de Michelettti".

Os elementos da crise

  • Desde que foi eleito, em 2005, Manuel Zelaya se aproximou cada vez mais dos governos de esquerda da América Latina, promovendo políticas sociais no país. Ao mesmo tempo, seus críticos argumentam que Zelaya teria se tornado um fantoche do líder venezuelano Hugo Chávez e acabou sendo deposto porque estava promovendo uma tentativa ilegal de reformar a constituição


Tanto a Cholusat Sur quando a Rádio Globo, ambas pró-Zelaya, foram fechadas temporariamente em pelos menos duas ocasiões desde que o presidente eleito foi deposto, em junho.

"Manobra"
Na quinta-feira (19), Roberto Micheletti anunciou em mensagem oficial ao país que deixará temporariamente o governo de 25 de novembro a 2 de dezembro para "permitir um período de reflexão aos hondurenhos" durante as eleições gerais do dia 29.

O presidente deposto, Manuel Zelaya, disse que a saída do adversário político é uma manobra para "enganar bobos".

"Nesta última manobra, Micheletti confessa claramente que com sua posição ele é uma mancha para a democracia, por isso está querendo sair por uma semana, mas nós lhe pedimos que vá para sempre", expressou Zelaya a Rádio Globo.

"Sua manobra de querer fingir que sai por uma semana é uma manobra falsa, isso é para enganar bobos", acrescentou.

"Não vai a enganar a mim com isso, nem ao povo hondurenho, nem à comunidade internacional, talvez a seus partidários. Esta manobra significa mais ocultar a verdade sobre o que está acontecendo em Honduras e de querer enganar a toda a comunidade internacional e ao povo hondurenho", cotou.

Zelaya também pediu que as eleições de 29 de novembro fossem adiadas para legitimá-las e reiterou que com a atitude que agora pretende Micheletti se comprova sua posição que impugnará as eleições.

As eleições de novembro haviam sido convocadas antes do golpe, em 28 de junho, quando militares expulsaram Manuel Zelaya do país sob a mira de uma pistola e sob a acusação de tentar violar a constituição hondurenha.
O presidente deposto voltou a Honduras escondido em setembro. Ele se refugiou na embaixada brasileira em Tegucigalpa.

*Com informações de Efe e Reuters

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos