Senado não tem interesse em votar admissão da Venezuela no Mercosul agora, diz Sarney

Do UOL Notícias* Em São Paulo

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), afirmou nesta quarta-feira que o protocolo de Adesão da Venezuela ao Mercosul, tema que há três semanas aguarda votação, não deve ir ao plenário do Senado tão cedo.

Saiba mais sobre o Mercosul

  • UOL

    O Protocolo de Adesão da Venezuela ao Mercosul nasceu em Caracas em 4 de julho de 2006, firmado pelos presidente dos países membros permanentes do bloco e por Hugo Chávez, da Venezuela. O passo seguinte para que pudesse entrar em vigor é sua ratificação em cada um dos parlamentos nacionais envolvidos. Desde então, já deram voto positivo os parlamentos da Venezuela, da Argentina e do Uruguai

"Essa matéria precisa de um novo acordo entre todas as lideranças", respondeu o senador aos jornalistas, negando que a questão será votada hoje.

"Embora tenha um acordo preliminar de votar logo, agora o assunto está numa fase em que os partidos não querem que seja levado a plenário. Isso porque é uma matéria muita polêmica", acrescentou Sarney.

A entrada da Venezuela no bloco do Mercado Comum do Sul foi aprovada pelo plenário da Câmara em dezembro do ano passado, por 265 votos a 61, com seis abstenções.

Depois disso, a questão passou pela representação brasileira no Parlamento do Mercosul e, em 29 de outubro, foi aprovado pela Comissão de Relações Exteriores do Senado por 12 votos a 5.

No dia seguinte, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que estava em Caracas, estimou que o tema seria concluído "em uma semana ou dez dias". Desde então, o protocolo aguarda votação em plenário no Senado, o último passo legislativo para o Brasil ratifique a entrada da Venezuela no grupo.

Caso seja aprovado no Brasil, o protocolo dependeria somente do voto no Parlamento paraguaio para entrar em vigor.

Com informações da Agência Senado

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos