Ainda não é possível "mencionar cifras", afirma ministro chileno sobre prejuízos depois do terremoto

Renata Giraldi
Da Agência Brasil
Em Brasília

Dois dias depois do pior terremoto da história do Chile, o governo da presidente Michelle Bachelet calcula os prejuízos causados pela tragédia que matou 711 pessoas. O ministro da Fazenda chileno, Andrés Velasco, afirmou que o governo buscará todos os recursos necessários para reorganizar o país. Segundo ele, ainda não é possível estimar nem mencionar cifras. Velasco garantiu que não haverá restrição orçamentária para ajudar as vítimas.

“Nessa tragédia a resposta do governo não é limitada por recursos porque nós entendemos plenamente as imensas necessidades das pessoas no Chile”, disse o ministro. De acordo com ele, a Lei do Orçamento da União tem a flexibilidade necessária para liberar os recursos.

A diretora do Escritório Nacional de Emergência, Carmen Fernandez, apelou para que as pessoas tentem manter a calma em meio às chamadas réplicas do terremoto nas regiões Sul e Central do Chile. De acordo com ela, esses fenômenos são normais depois do terremoto que atingiu 8,8 graus da escala Richter.

Porém, Fernandez recomendou que as pessoas que estão nessas áreas de instabilidade e com risco de deslizamentos de terras se afastem das regiões para evitar danos. Pelos dados do escritório, as regiões mais ameaçadas são: Valparaíso, Metropolitana, O'Higgins e Maule – área metropolitana de Santiago (capital) -, San Felipe, San Antonio, Rancagua, Concepción, Colchagua, Parral, San Fernando, Licantén, Talca e Linares.

O terremoto do último sábado (27) destriuiu estradas, prédios públicos e ainda há muitos desabrigados e desalojados. O prédio da Embaixada do Brasil em Santiago, que é uma casa antiga, também sofreu danos. Segundo o Itamaraty, não há informações sobre brasileiros mortos ou desaparecidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos