Tiroteio em metrô perto do Pentágono deixa dois policiais feridos

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

Dois policiais do Pentágono ficaram feridos na noite desta quinta-feira (4) após um homem se aproximar deles na entrada de uma estação de metrô em Washington, nos Estados Unidos, e começar a atirar. De acordo com o site do jornal New York Times, os policiais revidaram os tiros, baleando o homem na cabeça e no ombro. 

O atirador foi identificado como John Patrick Bedell, 36, segundo um policial ouvido pelo jornal americano. De acordo com a agência de notícia Associated Press, Bedell foi levado para um hospital, mas teria morrido, segundo um legista do Distrito de Columbia.

Os dois policiais, que não foram identificados, usavam coletes a prova de balas e também foram levados para o hospital, mas não corriam risco de morte, segundo o porta-voz do Pentágono Richard S. Keevill.

De acordo com o NYT, os investigadores querem saber se Bedell agiu sozinho. Antes de entrar na estação de metrô, ele teria sido filmado conversando com outro homem por uma câmara do Pentágono.

O tiroteio aconteceu por volta das 18h40 (horário local) na entrada da estação de metrô que fica do outro lado da rua do prédio do Pentágono, um dos alvos dos ataques terroristas no 11 de setembro de 2001.

Após o ataque de 2001, novas regras de segurança foram estabelecidas no Pentágono e parte do edifício foi reconstruída. Desde então, passageiros que saem do metrô não podem entrar diretamente no Pentágono.

De acordo com o NYT, os policiais afirmaram que o atirador se aproximou dos dois policiais na área de segurança do lado de fora do complexo e colocou a mão no bolso. Os policias acharam que ele iria retirar um cartão para entrar no Pentágono, mas o homem retirou uma arma e começou os disparos.

Os policiais relataram que o atirardor caminhava calmo, sem aparentar angústia", disse Keevill. "Não havia emoções no seu rosto".

Testemunhas contaram às redes de televisão que ouviram tiros e viram pessoas correndo para fora da estação.

Keevill afirmou que, "até onde ele saiba", o atirador é um cidadão americano. De acordo com o NYT, a polícia está buscando pelo nome de Bedell em lista de grupos terroristas ou grupos criminosos. Os registros militares também estavam sendo checados, para ver se ele tem alguma relação com as Forças Armadas.

Após os tiros, militares do Pentágono foram visto rondando a área em busca de possíveis atiradores.

A família de Bedell mora em Hollister, uma cidade agrícola na Califórnia. De acordo com o vizinho Ronald Domingues, Bedell tem uma família pequena e unida. O pai é consultor financeiro e a mãe enfermeira, disse o vizinho.

 

*Com informações das agências internacionais e da Folha Online

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos