Governo reduz para 51 o número de mortos após terremoto na Turquia

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Atualizada às 13h31

  • AFP

    Equipes de resgate e moradores na província de Elazig, na Turquia, buscam corpos entre os escombros do terremoto que abalou a cidade durante a manhã desta segunda-feira (8)

As autoridades turcas revisaram para baixo o número de mortos após o terremoto de 6 graus na escala Richter que atingiu nesta segunda-feira (8) a província de Elazig (leste). Segundo o governo, são 51 no número de mortos. O total de pessoas feridas chega a 71.

Terremoto na Turquia

  • Nome oficial: República da Turquia

    Tipo de governo: Democracia parlamentar republicana

    Capital: Ancara

    Divisão administrativa: 81 províncias

    População: 76.805,524

    Grupos etnicos: Turcos 70-75%, Curdos 18% e outras minorias 7-12%

    Religiões: Muçulmanos 99.8% (maioria sunita), outros 0.2% (maioria Cristãos e Judeus)

    Idiomas: Turco (oficial), Curdo e outras minorias

    Fonte: CIA World Factbook 2009

O vice-primeiro-ministro turco Cemil Ciçek havia anunciado anteriormente 57 mortos e mais de 50 feridos. As autoridades consultadas pela agência AFP não explicaram o que causou o erro de contagem.

As vítimas foram registradas em cinco localidades próximas ao epicentro do terremoto registrado às 04h32 locais (23h32 de domingo em Brasília) e localizado na província de Karakoçan.

O observatório sismológico Kandilli registrou pelo menos 10 réplicas do tremor, entre 2.1 e 4 graus, e uma superior a 5 graus por volta das 10h local (5h de Brasília).

Muitos edifícios em Karakoçan área caíram. Ambulâncias de outras províncias foram enviadas para transportar os feridos.

O terremoto ocorreu a 5 quilômetros de profundidade e foi sentido nas províncias vizinhas de Tunceli, Diyarbakir e Malatya, causando pânico na população.

Muammer Erol, governador de Elazig, disse que há pelo menos dez cidades gravemente afetadas, onde as construções ficaram bastante danificadas.

O ministro e porta-voz do governo, Cemil Çiçek, junto a outros três ministros, se deslocou com urgência para a região atingida pelo terremoto.

Equipes de emergência já chegaram a todos os locais afetados e o Crescente Vermelho - nome dado à Cruz Vermelha nos países islâmicos - da Turquia já começou a erguer acomodação temporária para ajudar os desabrigados durante o rigoroso inverno.

Veja imagens da destruição

Acredita-se que várias pessoas ainda estejam presas sob os escombros. As autoridades pediram aos moradores que não tentem retornar às suas casas.

A Turquia está localizada em uma zona de instabilidade geológica. O último grande terremoto a atingir o país ocorreu em 1999, ao leste de Istambul, e causou a morte de mais de 17 mil pessoas.

Na época, especialistas apontaram a má qualidade das construções como principal razão para o alto número de mortes.

"Houve muito medo e pânico entre as pessoas. Durou cerca de um minuto. Sentimos com muita força e todo mundo tentou fugir para a rua", disse Nursel Sengezer, um correspondente da agência de notícias local Dogan em Elazig, à emissora CNN turca.

*Com informações das agências internacionais

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos