Justiça do Irã condena 86 oposicionistas acusados de conspirar contra Ahmadinejad

Do UOL Notícias
Em São Paulo

Oitenta e seis acusados de incitar atos de violência contra a República Islâmica do Irã após o resultado das eleições no ano passado foram condenados pela Justiça local. O Tribunal de Teerã anunciou a sentença baseado em afirmações de que o grupo conspirava contra o governo do presidente reeleito Mahmoud Ahmadinejad.

Segundo agência de notícias iraniana Fars, as sentenças foram emitidas sob a acusação de que os réus realizavam reuniões ilegais, conspirando contra a segurança nacional. Além disso, a Justiça afirma que o grupo fazia propaganda contra a República Islâmica, participava de grupos revolucionários ilegais e perturbava a paz pública. O Tribunal de Teerã não especificou por quanto tempo os acusados ficarão presos.

Algumas organizações contra o governo de Ahmadinejad relataram que mais de 4.000 oposicionistas foram detidos desde junho do ano passado, após a eleição que reelegeu o presidente.

Autoridades do governo iraniano culpam os Estados Unidos e a Europa de incitar protestos e promover a violência no país depois da vitória de Ahmadinejad. Os candidatos reformistas Mir Hossein Moussavi e Mahdi Karrub denunciaram irregularidades maciças naquela eleição e reivindicaram, sem sucesso, sua anulação.

Muitas manifestações foram organizadas pelos oposicionistas, que acreditavam que a eleição havia sido fraudada. Esses protestos pacíficos foram reprimidos pelas forças de segurança iranianas com um saldo oficial de pelo menos 40 mortos e milhares de detidos, entre eles centenas de ativistas políticos e jornalistas. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos