Oposição passa à frente no Iraque; partido do atual primeiro-ministro acusa comissão eleitoral de manipulação

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

O partido do atual primeiro-ministro iraquiano Nuri al-Maliki acusou nesta quarta-feira (17) a comissão eleitoral de "manipulação", depois que seu rival laico Iyad Allawi recuperou terreno e lidera agora os resultados das eleições legislativas de 7 de março, de acordo com resultados parciais. Cerca de 80% dos votos já foram apurados.

Raio-x do Iraque

  • Nome oficial: República do Iraque

    Tipo de governo: Democracia parlamentar

    Capital: Bagdá

    Divisão administrativa: 18 províncias e 1 região

    População: 28.945,569

    Grupos etnicos: Árabes 75%-80%, Curdos 15%-20%, Turcomanos, Assírios e outros 5%

    Religiões: Muçulmanos 97% (xiitas 60%-65%, sunitas 32%-37%) e Cristãos e outras 5%

    Idiomas: Árabe, Curdo (oficial nas regiões curdas), Turcomano (dialeto), Neo-aramaico e Armenio

    Fonte: CIA World Factbook 2009

"Houve manipulações claras dentro da comissão eleitoral em favor de um partido em particular", afirmou  Ali al-Adib, candidato da Aliança do Estado de Direito (AED) do primeiro-ministro, referindo-se à formação de Allawi.

Adib afirmou que não acredita no avanço de mais ou menos 9.000 votos no país em favor de Allawi, afirmando: "Este avanço parece um milagre".

A comissão eleitoral rejeitou as acusações. "A comissão trabalha com documentos que recebe dos centros de votação (de todo o país), onde a apuração foi realizada sob controle de representantes dos partidos e dos meios de comunicação", afirmou uma das autoridades da comissão, Iyad al-Kinani.

À medida que avançava a apuração de votos, Allawi recuperava terreno e, em nível nacional, conseguiu superar Maliki por uma pequena vantagem de 8.984 votos, de acordo com os resultados divulgados pela Comissão Eleitoral na terça-feira à noite.

Segundo cálculos da AFP, as formações dos dois candidatos obterão cada uma 87 dos 310 assentos da próxima assembleia. Outras quinze cadeiras no Parlamento (reservadas principalmente às minorias) não estão incluídas neste registro.

O resultado final depende ainda das possíveis impugnações que podem ser apresentadas nos próximos dias.

O Parlamento eleito, de 325 cadeiras, será encarregado de designar o próximo presidente iraquiano, que terá funções executivas limitadas. Os novos parlamentares também vão determinar a próxima coalizão governante.

* Com agências internacionais

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos