Diálogo de Obama e Netanyahu foi honesto e direto, diz Casa Branca

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

  • Bernat Armangue/AP

    O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu fala com jornalistas em Jerusalém

    O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu fala com jornalistas em Jerusalém

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, tiveram na noite de terça-feira (23), durante mais de duas horas, um diálogo "honesto e direto", disse hoje a Casa Branca.

"Há pontos que discutiram ontem à noite, alguns em que estão de acordo e outros em que não estão (...). Essas conversas continuam, mas a conversa foi honesta e direta", disse em entrevista coletiva o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs.

Israel diz que casas em Jerusalém Oriental foram aprovadas em 2009

gabinete do primeiro-ministro de Israel informou hoje que o plano para construir 20 casas no complexo do hotel Shepherd, em Jerusalém Oriental, foi aprovado em 2009. Em comunicado, o gabinete diz que, "sobre este caso específico, a decisão de (outorgar) permissões para a construção foi adotada há vários meses, no transcurso de 2009".

Segundo Gibbs, Obama pediu de Netanyahu "passos para construir a confiança nas negociações de proximidade, para que haja progresso rumo a uma paz integral no Oriente Médio".

Sobre Israel, Gibbs reiterou que os EUA têm "uma forte relação com um forte aliado", mas se negou a responder perguntas sobre os temas abordados durante o encontro.

"Não vou comentar sobre o que se discutiu", enfatizou Gibbs.

O porta-voz explicou que Netanyahu terá ainda algumas reuniões com membros do Governo, mas que não há outra programada com Obama.

Israel mantém planos de construir em Jerusalém Oriental

Sem recuar diante das turbulências nas suas relações com Estados Unidos e Grã-Bretanha, Israel confirmou nesta quarta-feira (24) novos planos para ampliar ainda mais a presença judaica em Jerusalém Oriental, o que certamente deve irritar os palestinos e frustrar os aliados ocidentais de Israel, que pedem a paralisação das construções.

Uma autoridade municipal disse que já foram autorizadas as obras em um turbulento bairro do qual palestinos foram expulsos no ano passado.

Veja o hotel que será transformado
em moradia para israelenses

Netanyahu lamentou que o anúncio de novas construções nos arredores de Jerusalém Oriental tenha coincidido com uma visita a Israel do vice-presidente dos EUA, Joe Biden, o que Washington considerou "um insulto". Mas na segunda-feira o premiê de Israel insistiu, diante de uma plateia de influentes judeus norte-americanos, que "Jerusalém é a nossa capital", e que Israel vai continuar construindo onde achar que deve na cidade.

Israel anexou Jerusalém Oriental como parte da sua capital após capturá-la na guerra de 1967. A comunidade internacional não reconhece a anexação, e os palestinos reivindicam Jerusalém Oriental como capital do seu futuro Estado na Cisjordânia e Faixa de Gaza.

* Com agências internacionais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos