EUA e Rússia assinarão novo acordo de desarmamento nuclear em 15 dias

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

  • 18.03.2010 - Alexander Natruskin/Reuters

    A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, e o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, em Moscou

    A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, e o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, em Moscou

Será assinado em 8 de abril, em Praga, o novo tratado de desarmamento nuclear entre Estados Unidos e Rússia, em substituição ao chamado Start, que venceu em dezembro passado. A informação foi dada pelo embaixador russo em Praga, Leonidovich Fedotov.

O Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start I, na sigla em inglês) foi assinado em 1991, com o objetivo de reduzir a presença de armas nucleares no mundo após o final da Guerra Fria. Sua vigência, contudo, expirou em dezembro de 2009, e até agora Washington e Moscou não tinham chegado a um acordo para definir os termos de um novo documento com esse propósito.

“Todos os documentos do novo tratado de armas estratégicas ofensivas foram acordados”, confirmou também uma fonte da presidência russa. Agora, esses acordos devem ser transcritos, o que pode demorar alguns dias.

O governo tcheco já havia anunciado seria em Praga a assinatura do documento, depois de a opção pela capital ucraniana, Kiev, ter sido rejeitada por Washington.

Na semana passada, o ministro de Assuntos Exteriores russo, Serguei Lavrov, e a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, expressaram em Moscou sua confiança na pronta assinatura do novo tratado.

Rússia e EUA iniciaram no último dia 9 em Genebra a rodada final de negociações sobre o desarmamento aberta há quase um ano em Londres pelo presidente russo, Dmitri Medvedev, e seu colega americano, Barack Obama.

Autoridades norte-americanas e russas disseram esperar que um acordo para reduzir o número de armas nucleares no mundo enviaria um sinal para outras nações e reduziria a ameaça de um conflito nuclear.

Um empurrão por um novo tratado entre Estados Unidos e Rússia faz parte dos esforços de "recomeçar" as relações, que passaram por atritos na última década.

Contudo, especialistas apontam que pode haver problema na ratificação por parte dos Legislativos de ambos os países.

A Duma (Parlamento russo) não dará seu sinal verde se o documento não incluir armamento ofensivo e defensivo. O Senado americano também não o ratificará se o texto limitar a capacidade dos EUA de usar escudos antimísseis para defender seus aliados, afirmou recentemente o senador republicano John McCain.

*Com informações das agências internacionais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos