Terremoto no México mata um, derruba construções e destrói estrada

Do UOL Notícias

Em São Paulo

  • reprodução

    Mapa mostra em vermelho a região do epicentro do tremor na região mexicana da Baixa Califórnia, sentido também nos Estados Unidos

    Mapa mostra em vermelho a região do epicentro do tremor na região mexicana da Baixa Califórnia, sentido também nos Estados Unidos

Atualizado às 23h31

Um terremoto de 7,2 graus na escala Richter atingiu neste domingo (4) a Baixa Califórnia, no México, e foi sentido também no sul dos Estados Unidos. O governo mexicano informou que uma pessoa morreu em casa durante o terremoto no sudeste de Mexicali.

A Secretaria de Governo do México disse ainda que há diversos danos por conta do terremoto e que até agora houve 20 tremores secundários na região que abrange do sul da Califórnia, nos EUA, até o Estado de Sonora, no oeste mexicano. O mais forte dos tremores secundários marcou 5,4 na escala Richter.

Segundo relatos da imprensa local, há muitas pessoas que sofreram ferimentos leves. Também surgiram relatos de queda de postes de eletricidade e telefonia em Tijuana e Mexicali, além de prejuízos em lojas.

De acordo com o site do jornal mexicano "El Universal", um pedaço da estrada Tijiana-Mexicali cedeu no km 80 e impede a passagem de veículos. Ali não há feridos. Em Mexicali, "pelo menos um edifício ruiu e outros edifícios públicos e privados tiveram alguns danos", explicou Alfredo Escobedo, diretor da Defesa Civil, à emissora norte-americana CNN em espanhol.

Rachaduras também teriam sido encontradas em casas na Califórnia e no Arizona, segundo agências de notícias. O abalo foi sentido às 15h40 no horário local local (19h40, Brasília).

De acordo com o serviço geológico norte-americano, o epicentro ficou 26 km ao sudoeste da cidade de Guadalupe Victoria, na Baixa Califórnia, a 32,3 quilômetros de profundidade. As estimativas iniciais apontavam um tremor de 6,9 graus.

O terremoto foi sentido também em Los Angeles e San Diego, onde edifícios e casas tremeram por cerca de um minuto. Ainda não há informações sobre danos ou feridos nos Estados Unidos. Um câmara de TV captou imagens de um prédio onde algumas pessoas ficaram presas, em Anaheim.

Perto da população
Em Calexico, na Califórnia, perto da fronteira com o México, Carlton Hargrave, 64, disse que seu restaurante foi "quase completamente destruído". "As mesas estão viradas, pratos caíram no chão, o teto ruiu. Foi um dos grandes", disse ele ao jornal norte-americano "The New York Times".

O chefe do Serviço Sismológico Nacional (SSN) mexicano, Carlos Valdez, disse à agência de notícias AFP que a magnitude do tremor é “importante, com potencial para gerar alguns danos porque não está muito longe da população”. Segundo o SSN, a cidade fronteiriça de Mexicali, com 900 mil habitantes foi afetada.

O SSN também perdeu o contato com seu sensor na cidade minutos depois do terremoto. A imprensa mexicana noticiou cenas de pânico e alguns desmaios em Tijuana, mas nada sobre feridos ou danos graves nas infraestruturas.

A agência de notícias Efe afirmou que o terremoto causou 11 incêndios no México, o que ainda não foi confirmado pelas autoridades locais.

Relatos de danos devem aumentar
Escobedo, autoridade da Defesa Civil mexicana, alertou que o balanço de prejuízos e feridos certamente será maior. Ele afirmou que, por ser domingo, é possível que não tenha sido comprovado o estado de muitos imóveis que abrigam centros de trabalho ou escolas.

"Temos alguns feridos, mas não graves. Não temos informações de pessoas que tenham perdido a vida até o momento", acrescentou.

O diretor da Comissão Federal de Eletricidade do México, Alfredo Elías Ayub, disse pelo microblog Twitter que o governo está "avaliando danos e manterá a população informada".

Segundo o canal de TV KABC, de Los Angeles, vários arranha-céus da cidade foram sacudidos com força e o corpo de bombeiros local respondia neste momento a vários chamados para tirar pessoas presas em elevadores.

O tremor aconteceu na junção de duas placas tectônicas: a do Pacífico e a Norte-americana, que se apertam uma contra a outra na Baixa Califórnia e na Califórnia.

Com agências internacionais
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos