Terremoto na fronteira entre México e EUA causou poucos danos no lado norte-americano

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

O terremoto de 7,2 pontos na escala Richter que atingiu neste domingo (4) a região de fronteira entre o estado norte-americano da Califórnia e o México, deixando dois mortos e centenas de feridos, causou pouco dano no lado dos Estados Unidos, afirmou hoje o responsável pelo manejo de desastres da Califórnia, Matthew R. Bettenhausen.

"Pelo que sabemos, houve danos no México. Felizmente para nós, na Califórnia são danos menores, sem perdas de vidas", disse Bettenhausen, diretor da Agência para o Manejo de Desastres do estado da Califórnia.

"Obviamente estivemos em contato com nossos parceiros no México, com que também temos uma relação de cooperação e trabalho muito próxima, dado que também temos acordos deste tipo", explicou o diretor aos jornalistas.

  • UOL Arte/USGS

    Destaque mostra intensidade do tremor na região (do vermelho, mais forte, ao verde, mais fraco)

As declarações foram feitas durante uma visita a Santiago, durante a qual Bettenhausen se reuniu com o chanceler chileno, Alfredo Moreno, com quem assinou um convênio de cooperação em gestão de emergências e catástrofes.

O convênio assinado hoje permitirá a ambas partes desenvolver projetos conjuntos de investigação em matéria de prevenção de riscos e catástrofes naturais, e também estratégias de comunicação nos casos de emergências e desastres.

No dia 27 de fevereiro o Chile sofreu um forte terremoto de 8,8 graus na escala Richetr, seguido de um maremoto, que deixou mais de 430 mortos, 80 mil desabrigados e danos materiais na casa dos US$ 30 bilhões.

Veja os locais que sentiram o tremor

Centenas de feridos no México

O governador do Estado da Baixa Califórnia (México), José Guadalupe Osuna, informou que o número de feridos pelo terremoto de 7,2 na escala Richter ocorrido no domingo (4) chegou a 233. Cerca de 20 milhões de pessoas sentiram o tremor, que foi o mais intenso a atingir a área desde 1992.

O governo do México emitiu um alerta nas primeiras horas da manhã de hoje pedindo que a população da região afetada pelo terremoto mantenha a calma e obedeça a todas as recomendações da Defesa Civil. Segundo o Osuna, o tremor atingiu particularmente as instalações de saúde da Baixa Califórnia, especialmente o Hospital Geral de Mexicali que teve que ser evacuado. "Temos alguns feridos a céu aberto. Estamos instalando tendas", indicou o governador durante entrevista à rede de televisão Televisa.

Duas mortes, ambas na capital do Estado, foram confirmadas pelo diretor da Defesa Civil, Alfredo Escobedo. Segundo ele, uma das vítimas morreu com a queda de uma casa no Vale de Mexicali, a 18 quilômetros de onde foi o epicentro do tremor. O outro homem teria morrido após sair correndo da sua casa, em pânico por causa do tremor. Ele foi atropelado por um carro que passava na rua.

O epicentro do terremoto, segundo o Serviço Sismológico Nacional do México, foi localizado a 24 km a noroeste da cidade de Guadalupe Victoria, no Estado da Baixa Califórnia. O tremor também foi registrado em Tecate, Tijuana, Playas de Rosarito e Ensenada.

Em Mexicali, várias pessoas estão presas sob escombros e as autoridades declararam estado de emergência na cidade, que tem cerca de 900 mil habitantes.

Com a falta de luz, cerca de 300 pacientes tiveram de ser transferidos do Hospital Geral de Mexicali para clínicas particulares que permanecem funcionando a base de geradores elétricos. Segundo Escobedo, esses equipamentos não devem suportar muitas horas e ele acredita que será necessário transferir os pacientes para clínicas de outras cidades.

Segundo a Defesa Civil local, cerca de 20 tremores secundários foram sentidos na cidade após o terremoto principal. O diretor da entidade afirmou que problemas com linhas telefônicas e corte no fornecimento de energia elétrica dificultam a difusão de informação sobre os danos, principalmente em Mexicali. O município ainda sofre com falta de energia elétrica e deve permanecer às escuras pelo menos até as próximas 14 horas.

Vídeo mostra momento do terremoto

Na cidade mexicana de Tijuana, o fornecimento de energia elétrica foi suspenso. Muitas pessoas interromperam a celebração de Páscoa e correram para a rua na hora em que a terra começou a tremer. O terremoto balançou alguns prédios e causou o corte de energia em várias áreas. Segundo a agência de notícias Associated Press, moradores dos prédios saíram correndo em direção às ruas após o tremor, com medo de desabamentos. Segundo informações do jornal mexicano El Universal, com a comunicação interrompida, 15 pacientes foram retirados do hospital geral da cidade.

Equipes de emergência dos municípios de Tijuana, Mexicali e Playas de Rosarito, já iniciaram trabalhos de reconhecimento de edificações danificadas.

Em Tijuana, o responsável pela Defesa Civil local, Antonio Rosquillas, informou que está sendo realizado um monitoramento das zonas de alto risco, enquanto bombeiros notificam rachaduras em paredes de prédios e residências.

O presidente mexicano, Felipe Calderón, adiantou em duas horas sua agenda de hoje para visitar a capital da Baixa Califórnia. Acompanhado por assessores de gabinete, Calderón irá à região para coordenar a chegada da ajuda humanitária e para restaurar os serviços de água, eletricidade e transporte, afetados pelo tremor.

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil informou hoje que não há relato de brasileiros entre os afetados pelo terremoto que atingiu o México. Segundo o Itamaraty, a Embaixada do Brasil na Cidade do México acompanha as atividades do governo federal e também do estado da Baixa Califórnia. O objetivo é atualizar as informações e verificar a presença de brasileiros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos