Brasil busca reforçar relações bilaterais com África do Sul e Índia

Camila Campanerut
Do UOL Notícias*
Em Brasília

Atualizada às 17h36

Durante rápido encontro com o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou, nesta quinta-feira (15), a demonstrar preocupação e interesse em incentivar o comércio com país sul-africano. A afirmação é do Secretário-geral para Assuntos Políticos do Ministério de Relações Exteriores, Piragibe Tarragô, que participou da reunião.

Segundo o embaixador, comércio entre os dois países foi prejudicado no ano passado devido à crise econômica internacional, mas que deve ser retomado neste ano. Em 2009, o intercâmbio comercial teve queda de 33,1%. As exportações brasileiras para África do Sul totalizaram U$ 1,26 bilhão, o que representa uma queda de 28,2% em relação a 2008. Em 2008, o intercâmbio foi de U$ 2,53 bilhões.

O encontro dos dois líderes é parte de uma agenda paralela aos fóruns internacionais de países emergentes, o Ibas, (que reúne representantes da Índia, Brasil e África do Sul) e Bric (Brasil, Índia, China e Rússia).

Os assuntos econômicos entre Brasil e África do Sul devem ser aprofundados em uma próxima reunião na primeira semana de maio com a presença do chanceler brasileiro, Celso Amorim, em que devem ser fechadas parcerias nas áreas de Defesa, Ciência e Tecnologia e Agricultura.

África do Sul e Brasil compactuam com as mesmas opiniões sobre a questão nuclear do Irã e da tentativa de apoiar um entendimento entre palestinos e israelenses. “É preciso esgotar todas as possibilidades de diálogo e de negociação para se chegar a um entendimento sobre a questão [nuclear]”, disse Tarragô. “Em relação ao Oriente Médio, os dois coincidiram com o fato de o Ibas [grupo que reúne Índia, Brasil e África do Sul] ter uma atuação mais importante, uma possibilidade de oferecer uma contribuição ao processo de paz”, completou.

O Brasil pretende também melhorar a relação com a Índia. Os dos países pretendem desenvolver mais esforços para atingir a meta de US$ 10 bilhões nas trocas bilaterais até 2010. O reconhecimento da necessidade de ampliar o fluxo comercial entre os dois países consta de declaração conjunta divulgada hoje depois de encontro entre o presidente Lula e o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh. Em 2009, o comércio entre Brasil e Índia atingiu US$ 5,6 bilhões. 

Um caminho apontado no documento para atingir essa meta é diversificar o intercâmbio bilateral, particularmente em setores de maior valor agregado. No documento, os dois líderes dizem que os setores do comércio e da indústria do Brasil e da Índia devem aproveitar as oportunidades nas áreas de energia, agricultura, mineração e infraestrutura, entre outros. 

O governo brasileiro também ficou satisfeito com o interesse de empresas petrolíferas indianas em participar do futuro leilão da Agência Nacional de Petróleo (ANP) para exploração de petróleo. O leilão ainda não tem data marcada. Lula e Manmohan Singh ainda reafirmaram a preocupação com as mudanças climáticas e condenaram o terrorismo. 

O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, está no Brasil para participar hoje (15) das cúpulas do Bric, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia e China, e do Ibas, que reúne a Índia, Brasil e África do Sul.

* Com informações da Agência Brasil

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos