"Encolhido", premiê britânico se diz "azarão" nas eleições e ataca rival para evitar 3º lugar

Maurício Savarese

Do UOL Notícias <BR> Londres

Ameaçado de perder o cargo nas eleições de 6 de maio, o primeiro-ministro e líder trabalhista, Gordon Brown, fez os ataques mais diretos aos rivais desde o início da campanha, em entrevista divulgada neste domingo (2) pelo "The Observer". Nela, o atual ocupante de Downing Street 10, sede do governo britânico, admite ter menos chances de vencer e acusa o conservador David Cameron e o liberal-democrata Nick Clegg de transformarem a votação em um concurso de popularidade.

Após a série de três debates televisionados, Brown recuou nas pesquisas de intenção de voto e está sob forte ameaça dos conservadores, que podem estar a menos de 20 assentos de uma maioria clara no Parlamento, composto por 650 membros que indicam o premiê. Antes visto como azarão, Clegg saltou nas sondagens por demonstrar mais desenvoltura em frente as câmaras do que o combalido premiê, desgastado pela crise econômica e por 13 anos de gestão do Partido Trabalhista.

Chamado por Cameron de “figura encolhida” por conta da possibilidade de os governistas terminarem em terceiro na corrida pelo governo, Brown partiu para o ataque. Mas, depois de infantilizar ambos os adversários durante sua campanha, centrou fogo em Clegg, que pode estar atraindo apoio de trabalhistas descontentes, embora não tenha chances de ocupar o cargo de primeiro-ministro por conta do complexo sistema eleitoral britânico.

Quadro eleitoral britânico em 2005

  • ArteUOL

“Estamos falando sobre o futuro do nosso país. Não estamos falando sobre quem será o próximo apresentador de um gameshow de TV”, disse ele após um evento em Londres ao se referir a Clegg, um ex-parlamentar europeu, de 44 anos de idade. Quando o liberal-democrata debateu mais asperamente com Cameron, 43, em um dos debates televisados, Brown disse: “vocês parecem minhas crianças batendo boca durante o banho”.

Em tom de fim de campanha, o primeiro-ministro disse ainda: “estou lutando por minha vida, mas não estou brigando por mim mesmo. Estou brigando pelo povo britânico”, completou. As chances de os trabalhistas se manterem no poder dependem fundamentalmente de uma aliança com os liberais-democratas, hipótese que já foi refutada por Clegg, uma vez que o partido de Brown deve terminar em terceiro lugar no voto geral.

Conheça os 25 principais distritos eleitorais britânicos

  • Inglaterra, Gales, Escócia e Irlanda do Norte decidem quem será o premiê do Reino Unido


“As políticas que ele defende é o tipo de coisa que você faz quando está em um jantar olhando para suas medidas e escrevendo atrás de um envelope”, alfinetou. Em seguida, indicou que se houver um acordo entre trabalhistas e liberais-democratas, aceitaria deixar a liderança de seu partido, que o conduziria de volta a Downing Street. “Eu sou um democrata, respeito a visão do eleitorado.”

Clegg evitou fazer comentários sobre o assunto e o tom usado por Brown. Mais cedo, Cameron usou termos pesados para falar sobre o primeiro-ministro: “Que figura encolhida Gordon Brown parece agora. Já foi exaltado como um colosso econômico e um gênio político, ele apela a rumores desesperados e temores histéricos”, disse o conservador.   

 

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos