Carro envolvido em atentado fracassado de NY foi revendido a dinheiro, diz jornal

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

  • AP Photo/Henny Ray Abrams

    Imagem de uma das câmeras de vigilância, divulgada pela polícia de Nova York (EUA), mostra o Nissan Pathfinder usado no atentado frustrado

    Imagem de uma das câmeras de vigilância, divulgada pela polícia de Nova York (EUA), mostra o Nissan Pathfinder usado no atentado frustrado

O Nissan Pathfinder encontrado com explosivos em uma movimentada rua de Nova York (EUA) na noite do último sábado tinha sido vendido por seu antigo dono para uma pessoa não identificada que pagou pelo carro em dinheiro, segundo informações do jornal norte-americano The New York Times.

O jornal, que cita fontes anônimas ligadas à investigação do caso, informa que a transação teria acontecido há algumas semanas em Connecticut, e não foi documentada, de acordo com as declarações feitas pelo antigo dono à polícia.

O antigo dono, que oficialmente não é considerado um suspeito, teria relatado em interrogatório na noite do domingo que o comprador seria natural da América Latina ou do Oriente Médio.

A polícia de Nova York intensificou nesta segunda-feira as investigações sobre a suposta tentativa de atentado utilizando um carro-bomba na Times Square, um região movimentada da cidade. O veículo foi identificado após as suspeitas levantadas por vendedores ambulantes e o material explosivo em seu interior foi desativado pela equipe antibombas sem que ninguém ficasse ferido.

Os explosivos foram descritos pela polícia como “amadores”, mas potencialmente perigosos. O caso está sendo tratado pela Casa Branca como terrorismo.

 

 

A principal pista divulgada pela polícia até o momento são as imagens das câmaras de segurança da região, que flagraram um homem branco de entre 40 e 50 anos, considerado suspeito de armar o ataque.

"Se alguém souber algo sobre esta pessoa, se o reconhecer, ligue para a polícia", pediu hoje o prefeito da cidade, Michael Bloomberg.

O Departamento de Segurança Nacional reiterou que nenhuma via de investigação foi descartada, nem a possibilidade de que exista alguma relação com as ameaças feitas contra os responsáveis pela série "South Park", por terem incluído Maomé como personagem em um capítulo.

"Por enquanto, todas as pistas devem ser investigadas", disse a secretária de Segurança Nacional, Janet Napolitano, que reconheceu que o atentado fracassado tem semelhanças com outros cometidos em outras cidades do mundo, como o planejado em 2006 em Londres por um britânico de 35 anos convertido ao islamismo.

Mesmo assim, Janet e Bloomberg ressaltaram que é cedo demais para dizer se há terroristas estrangeiros envolvidos no caso.

Apesar da divulgação de vídeos na internet nos quais os talibãs assumem a autoria do atentado, a polícia de Nova York afirma que até o momento nenhuma pista indica envolvimento do grupo extremista.

*Com informações do The New York Times e agências internacionais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos