Enviado de Obama participa no Panamá de debate sobre segurança na América Central

Renata Giraldi
Da Agência Brasil
Em Brasília

Por determinação do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, o secretário adjunto para Assuntos do Hemisfério Ocidental norte-americano, Arturo Valenzuela, desembarca amanhã (6) na Cidade do Panamá. Ele participa de seminário sobre segurança internacional. O objetivo é discutir ações concretas para combater facções criminosas, narcotráfico, tráfico ilícito de armas e outras ameaças relativas à América Central.

A primeira reunião realizada com esse objetivo ocorreu em 17 de julho de 2007 na Guatemala. Na ocasião, segundo as autoridades norte-americanas, houve avanços. Durante as discussões foi definida a necessidade de parceria e responsabilidade compartilhada para enfrentar as ameaças comuns.

As discussões na capital panamenha contarão com a presença de observadores da Colômbia, do Canadá, da República Dominicana, do México, da Espanha, União Europeia (UE), Organização dos Estados Americanos (OEA), do Comitê Interamericano contra o Terrorismo (Cicte), da Comissão Interamericana para o Controle do Abuso de Comissão de Drogas (Cicad), Organização dos Estados Americanos (OEA), do Departamento de Segurança Pública da Comunidade do Caribe (Caricom), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Banco Mundial.

Os acordos bilaterais e multilaterais entre os países latino-americanos para a ampliação dos reforços de segurança nas regiões fronteiriças tomaram conta do debate nesta semana. Anteontem (3), os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Lugo, do Paraguai, firmaram parceria para reforçar os postos militares em 11 áreas estratégicas da fronteira entre os dois países.

Os presidentes da Colômbia, Álvaro Uribe, e do Equador, Rafael Correa, também firmaram ontem (4) um acordo para reforçar o esquema de segurança na fronteira. A região é alvo de ataques constantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Em toda a região, os problemas giram em torno de faccções criminosas, narcotráfico, tráfico ilícito de armas. Sequestros, assassinatos e roubos também são frequentes.

O governo Obama enviou para o Panamá uma comitiva com representantes de vários setores. De acordo com informações do Departamento de Estado norte-americano, o seminário inclui palestras técnicas e consultas em nível de vice-ministros.

A delegação dos Estados Unidos é formada por representantes do Departamento de Estado, da Agência para o Desenvolvimento Internacional, do Departamento de Justiça, Defesa e Segurança Interna e do Bureau de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos, além do FBI, a polícia federal norte-americana, e do Gabinete de Política Nacional de Controle de Drogas e da Imigração e Fiscalização Aduaneira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos