Conservadores e trabalhistas já somam 100 assentos cada no Reino Unido; liberais-democratas desapontam

Maurício Savarese

Do UOL Notícias<br>Em Londres

Entenda como funciona um Parlamento sem maioria

Desde a Segunda Guerra, houve apenas uma exceção à regra de que no Reino Unido não se elege parlamentos sem maioria clara.

Conservadores e trabalhistas britânicos somavam mais de 100 assentos no Parlamento, composto por 650 membros, enquanto os liberais-democratas não passavam de 15 eleitos no fim desta quinta-feira (6). As pesquisas de boca de urna indicaram que nenhum partido terá maioria absoluta para indicar um primeiro-ministro, abrindo a chance para um governo de minoria ou uma coalizão.

Para ter maioria, um partido precisa de 326 parlamentares. Os oposicionistas, liderados por David Cameron, tinham tomado até então cerca de 20 assentos antes ocupados por trabalhistas. Se mantido esse índice, dizem os especialistas, os conservadores terão menos de 300 parlamentares. Os trabalhistas do premiê Gordon Brown ficariam com cerca de 270 cadeiras, acirrando a disputa.

Conheça o perfil dos candidatos

  • Gordow Brown, do partido trabalhista

  • David Cameron, do partido conservador

  • Nick Clegg, do partido liberal-democrata

Em seguida a sua reeleição como membro do Parlamento, Cameron disse que “os trabalhistas claramente perderam seu mandato para governar”, mas evitou declarar vitória, usando expressões como “o que quer que aconteça” e “o que quer que o futuro reserva”.

“O país quer mudança. Isso exigirá nova liderança. E o que quer que aconteça faremos de tudo para trazer um governo estável e bom para o nosso país”, disse o conservador. Mais cedo, ele disse que os números indicados na pesquisa de boca de urna, apontando 305 parlamentares de seu partido, bastariam para governar.

 

Já Brown, também com reeleição garantida, fez um discurso moderado e sem ar de triunfalismo, como aconteceu nas votações anteriores. “O resultado não é sabido ainda, mas é meu dever cumprir minha parte e desempenhar o meu papel para que o Reino Unido tenha um governo digno”, afirmou em pronunciamento.

Mais de 50 mil zonas de votação fecharam às 22h do horário local (18h de Brasília). Muitas delas, especialmente em cidades menores, são bares, salões de beleza, casas de chá e até castelos. Não há lei seca no Reino Unido, mas nesses bares-eleitorais o funcionamento é permitido apenas depois da votação. Na capital, centros comunitários de bairro concentram o trabalho.

Quadro da disputa

Com o atual resultado, sem maioria definida, o primeiro-ministro Gordon Brown, trabalhista, teria a primazia de tentar montar uma coalizão, mas analistas acham que o cenário mais provável será um governo minoritário liderado pelo conservador David Cameron.
"Cameron vai tentar aprovar programas de políticas públicas, demonstrar sua competência e então convocar uma segunda eleição neste outono ou na próxima primavera (boreais)", disse Mark Mark Wickham-Jones, professor de ciência política da Universidade de Bristol.

Fontes ligadas ao premiê, no entanto, disseram a agências de notícias e à BBC que Brown tentará formar uma coalizão anti-conservadora com os liberais-democratas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos