Sob terremotos e temporais, Chile anuncia construção de 45 mil abrigos

Renata Giraldi
Da Agência Brasil

Em Brasília

No dia seguinte que enviou para o Congresso o pacote de reconstrução do Chile, o presidente chileno, Sebastián Piñeira, anunciou hoje (6) a construção de 45 mil abrigos de emergência na região de Bío-Bío – uma das mais atingidas pelos terremotos no país. Piñera visitou o local nesta quinta-feira depois que um temporal caiu sobre a região ontem (5). Para o presidente, é fundamental que os parlamentares apressem as discussões e votem as medidas de reconstrução.

Na madrugada de hoje, mais uma vez, houve registros de terremotos nas regiões do Centro e Sul do Chile. Os tremores tiveram variações de 2 a 4 graus de magnitude na escala Richter. Ontem foi registrado um tremor de 6,1 graus de magnitude agravado pela forte chuva que cai nesta área do país.

“Quanto antes aprovar [o conjunto de] projetos de lei, mais rápido e melhor será a solução para as famílias”, afirmou Piñera após visitar a região. Inicialmente a previsão, no caso de Bío-Bío, era construir cerca de 30 mil habitações temporárias, mas ele elevou o número em consequência da chuva que caiu sobre a região, segundo o site oficial da Presidência da República do Chile.

Segundo Piñera, a prioridade do governo é garantir que todas as famílias chilenas tenham abrigos dignos e seguros. “[Essas casas que serão construídas] não são permanentes. Nós não queremos um barraco, queremos uma casa de verdade e com dignidade, onde as famílias possam crescer, desenvolver e que as crianças possam brincar. É uma tarefa que vai exigir um grande esforço."

Ontem, o presidente enviou ao Congresso o pacote emergencial que prevê a destinação de US$ 20 milhões para a reconstrução do Chile cujas regiões Sul e Centro foram atingidas pelo pior terremoto registrado no país, nos últimos 50 anos. No dia 27 de fevereiro de 2010, um terremoto de 8,8 de magnitude na escala Richter.

Desde fevereiro, tremores de terra e alerta de tsunamis ocorrem no país. Cerca de 500 pessoas morreram, 2 milhões ficaram desabrigadas e prédios públicos e privados sofreram graves danos. Ao assumir o governo, em março, Piñera avisou que sua prioridade é reconstruir o Chile parcialmente destruído pelos abalos.

Em meados de março, o presidente chileno esteve em Brasília e conversou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para agradecer o apoio do governo do Brasil ao enviar um hospital de campanha, material de primeiros socorros e equipamentos para a construção de pontes. Lula foi o primeiro presidente estrangeiro a desembarcar no Chile, depois do terremoto. Na ocasião, ainda estava no poder a ex-presidente Michelle Bachelet.

O pacote, elaborado pelo governo Piñera, incluem incentivos para as micro, pequenas e médias empresas por meio da redução de tributos. Também foi criado um benefício para ajudar as pessoas que querem reconstruir suas casas, além da diminuição dos juros sobre hipotecas e financiamentos de imóveis. Em um país com elevado número de fumantes, o governo resolveu aumentar o imposto sobre o tabaco.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos