Ahmadinejad diz que Irã e Bolívia têm posição diferenciada na comunidade internacional

Renata Giraldi
Da Agência Brasil
Em Brasília

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse ontem (23) que seu país e a Bolívia conseguiram estabelecer uma posição diferenciada na comunidade internacional para lidar com o que chamou de “conspiração global” e, assim, ter condições de reivindicar direitos legítimos. A reação de Ahmadinejad ocorre na véspera de a Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea) analisar os termos do acordo para a troca do urânio.

“O imperialismo está à beira do colapso”, afirmou Ahmadinejad durante reunião com o embaixador da Bolívia no Irã, Jorge Miranda Luizaga, que entregou ontem suas credenciais.

As informações são da agência iraniana oficial de notícias, a Irna. Segundo Ahmadinejad, todos devem ser respeitados com base no que determina a Justiça. O objetivo, de acordo com o presidente do Irã, é reforçar a cooperação entre iranianos e bolivianos. Para Ahmadinejad, os Estados independentes e defensores da liberdade deveriam contribuir para promover a justiça, a paz e a segurança no mundo.

O governo do Irã deve entregar hoje uma carta à Aiea detalhando o acordo, fechado na semana passada com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do primeiro-ministro da Turquia, Tyyiq Erdogan.

A previsão é que no documento os iranianos informem, de forma minuciosa, do que se trata o acordo, afastando dúvidas e suspeitas. O objetivo é que o Irã envie 1,2 mil quilos de urânio enriquecido a 3,5% para a Turquia. Em troca receberá 120 quilos do produto enriquecido a 20%. A ideia é que o material seja usado como combustível para as reatores nucleares e com fins pacíficos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos