Lula chega a Buenos Aires para festa do bicentenário de independência da Argentina

Luiz Antônio Alves e Jacqueline Bogdezevicius
Da Agência Brasil

Em Brasília e Buenos Aires

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou agora há pouco ao aeroporto militar de Buenos Aires, de onde segue para a Casa Rosada, sede do governo argentino. Lula participará das cerimônias que encerram as comemorações oficiais pelo bicentenário de independência da República Argentina. Os presidentes Rafael Correa, do Equador, e Hugo Chávez, da Venezuela, chegaram à capital argentina pouco antes de Lula.

Duzentos anos depois da independência, Argentina é uma "nação Maradona"

Uma pesquisa do jornal "Clarín" mostra que, duzentos anos depois da Revolução de Maio de 1810, os argentinos olham para si mesmos como uma sociedade impulsiva, alegre, apaixonada por futebol e machista, muito machista. Ou seja, um povo mais para Maradona do que para Cristina Kirchner.

Os presidentes do Uruguai, José Mujica, e da Bolívia, Evo Morales, além do ex-presidente de Honduras, Manuel Zelaya, também estão em Buenos Aires. Hoje (25) pela manhã, segundo informações da agência oficial de notícias Telam, Evo Moraes comentou que Bolívia e Argentina têm a "mesma história de grandes lutas dos nossos antepassados. O espírito de unidade que domina o continente resultou em iniciativas como a União das Nações Sul-Americanas [Unasul]". A Unasul é formada por Argentina, Brasil, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Colômbia, Equador, Peru, Chile, Guiana, Suriname e Venezuela.

De acordo com o presidente boliviano, o melhor presente que as lutas pela independência na América do Sul deixaram para o futuro foi, justamente, a união dos países representada pela Unasul. No último dia 5 de maio, em Buenos Aires, o ex-presidente argentino e atual deputado Néstor Kirchner foi eleito primeiro secretário-geral da Unasul, em cerimônia que também contou com a presença do presidente Lula.

Para os argentinos, o dia 25 de maio marca o inicio do processo de independência do domínio espanhol a partir de uma revolução que não teve efeitos imediatos, a não ser a deposição do vice-rei Baltazar Hidalgo de Cisneros. No entanto, o comando do país permaneceu com a coroa da Espanha. Uma série de revoltas e desavenças nas diversas províncias argentinas foi desencadeada, culminando com a declaração da efetiva independência argentina no dia 9 de julho, na cidade de Tucumán.

As comemorações pelo bicentenário de independência da Argentina serão encerradas à noite, no Salão Branco da Casa Rosada, onde será servido jantar para convidados nacionais e estrangeiros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos