Conselho de Segurança da ONU acerta "lista negra" para sanções contra o Irã

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

O Conselho de Segurança da ONU já começou a consulta para aplicar nova sanção contra o Irã. As potências-chave no Conselho chegaram a um acordo sobre uma "lista negra" de empresas e pessoas do Irã que constará da quarta rodada de sanções contra o  país, afirmou um diplomata nesta terça-feira (8).

Entenda a polêmica envolvendo o programa nuclear do Irã

Especialistas acreditam que o Irã ainda não tem capacidade de fabricar sozinho as varetas de combustível necessárias para o reator de Teerã.

O acordo abre caminho para a votação amanhã de um rascunho de resolução, acrescentou o diplomata ouvido pela agência de notícias Reuters que não quis se identificar.

O Irã afirma que desenvolve um programa nuclear pacífico, para geração de energia, apesar das suspeitas de nações ocidentais de que seria para construir uma bomba atômica.

Mais cedo, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, afirmou que está otimista que a cooperação internacional poderá evitar que o Irã desenvolva armas nucleares e que a resolução com sanções será aprovada.

"Em primeiro lugar, eu estou otimista que o Conselho de segurança (da ONU) vai votar uma resolução. Eu estive fora de Washington por muito tempo, muitos dias, para saber se amanhã ou depois é o mais provável, mas eu estou otimista que uma resolução será aprovada muito em breve", disse Gates depois de se reunir com o ministro britânico da Defesa, Liam Fox, em Londres.

Raio-x do Irã:

  • Nome oficial: República Islâmica do Irã
    Capital: Teerã
    Tipo de governo: República Teocrática
    População: 66.429,284
    Idiomas: Persa e dialetos persas 58%, turcomano e dialetos turcos 26%, curdo 9%, luri 2%, balochi 1%, árabe 1%, turco 1%, outros 2%
    Grupos étnicos: Persas 51%, azeris 24%, e gilakis mazandaranis 8%, curdos 7%, árabes 3%, lurs 2%, balochis 2%, turcomenos 2%, outros 1%
    Religiões: Muçulmanos 98% (xiitas 89% e sunitas 9%), outras (que inclui zoroastras, judeus, cristãos, e bahais) 2%
    Fonte: CIA Factbook

O presidente Mahmud Ahmadinejad afirmou hoje que o Irã se negará a iniciar novas discussões sobre seu programa nuclear se sofrer sanções da ONU. "Já disse que a administração americana e seus aliados se equivocam se acham que podem esgrimir a ameaça de uma resolução e depois sentar à mesa para negociar conosco. Isso não vai acontecer", sentenciou durante coletiva de imprensa.

Ahmedinajed pediu às potências ocidentais que aceitem o acordo elaborado entre o Irã, a Turquia e o Brasil sobre uma troca de combustível nuclear em território turco, afirmando que se trata de uma oportunidade única.

Brasil e Turquia, membros não permanentes do Conselho de Segurança da ONU, se opõem a novas sanções contra Teerã e concluíram em meados de maio um acordo com o Irã prevendo uma troca, em Ancara, de urânio iraniano pouco enriquecido por combustível nuclear enriquecido a 20%, proporcionado pelos ocidentais para um reator de pesquisa científica em Teerã.

"Este acordo é uma oportunidade para o governo americano e seus aliados (...). Espero que a utilizem bem. As oportunidades não se repetirão", enfatizou Ahmedinajed.

O presidente iraniano está em Istambul para assistir a um foro regional de segurança na Ásia, no qual também participa, entre outros, o primeiro-ministro russo Vladimir Putin, que assegurou que a comunidade internacional já praticamente chegou a um acordo sobre as novas sanções contra o Irã.

"Trabalhamos muito e acreditamos que praticamente se chegou a um acordo", afirmou Putin em uma coletiva de imprensa realizada junto a seu colega turco Recep Tayyip Erdogan.

"Nosso ponto de vista é que essas decisões não devem ser excessivas e não devem colocar o povo iraniano numa posição difícil, que poderia obstruir o caminho para um uso pacífico da energia nuclear", acrescentou Putin.

* Com agências internacionais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos