Em discurso, Obama pressiona BP a pagar pelos prejuízos do vazamento

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse durante pronunciamento no Salão Oval da Casa Branca na noite desta terça-feira (15) que é obrigação da British Petroleum arcar com os custos dos prejuízos causados pelo vazamento que já dura 57 dias no golfo do México.

O presidente norte-americano chegou a dizer que a empresa britânica foi imprudente e, que por isso, terá de pagar pelos danos.

Obama afirmou que vai instruir os funcionários da BP a oferecer os recursos que forem necessários para compensar os trabalhadores e empresários prejudicados pelo incidente. Ele também aproveitou o discurso para nomear o Secretário da Marinha, Ray Mabus, como responsável por desenvolver um plano de longo alcance para "restaurar a beleza e graça da região".

"Não se enganem: vamos combater esse derramamento com tudo o que temos e durante o tempo que for preciso", disse Obama. "Vamos fazer a BP pagar pelos danos causados por sua empresa. E faremos tudo o que for necessário para ajudar o golfo do México e a população para que se recupere desta tragédia”, afirmou.

Logo após o pronunciamento de Obama, a BP afirmou que compartilha a meta de limpar o vazamento e de ajudar as pessoas e o ambiente afetados. A companhia também disse que espera ansiosamente pela reunião com o presidente americano nesta quarta-feira "para uma discussão construtiva sobre como melhor atingir esses objetivos mútuos". Procurado por telefone pela agência Associated Press, o porta-voz da BP não quis comentar.

Logo no início do pronunciamento, o presidente norte-americano disse que nas próximas semanas 90% do vazamento estará contido. Porém, fez questão de frisar que “os milhões de galões de óleo que foram jogados no mar são como uma epidemia em que você terá de lutar contra por meses ou anos”.

Incêndio em barco coletor suspende limpeza de mancha de óleo

Obama também aproveitou o discurso desta noite para criticar a dependência que os Estados Unidos têm dos combustíveis fósseis e sua incapacidade de desenvolver novas fontes de energia limpas.

Revisão nos números
Segundo novo balanço divulgado pelo governo norte-americano, entre 5,5 e 9,5 milhões de litros de petróleo vazam por dia no golfo do México. Isso representa até 3,1 milhões de litros a mais do que calculavam os cientistas do governo até agora.

Depois de uma reunião de cientistas independentes e do Governo convocada pelos secretários de Energia, Steven Chu, e de Interior, Ken Salazar, os especialistas determinaram que "o fluxo mais provável" alcança entre 35 e 60 mil barris diários.

Até agora, os cientistas calculavam que o fluxo representava um volume de até 40 mil barris por dia (6,4 milhões de litros).

O vazamento de petróleo no Golfo do México, a catástrofe ecológica mais grave da história dos EUA, começou por causa da explosão e conseguinte afundamento no mar da plataforma Deepwater Horizon, administrada pela BP, em abril. O incidente deixou 11 mortos.

*Com agências internacionais
 

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos