Violência aumentou no Quirguistão após queda do presidente; entenda a crise

Do UOL Notícias

Em São Paulo

O ex-primeiro-ministro Kurmanbek Bakiev venceu eleições em 2005 para ocupar o cargo do controverso presidente Askar Akaev, após uma série de manifestações. No poder, Bakiev manobrou no Parlamento para ampliar seus poderes. Até que no ano passado foi reeleito em uma votação repleta de acusações de fraude. Aproximou-se dos Estados Unidos e afastou-se da Rússia, que historicamente influencia o país.

Em abril, depois de elevar preços de energia, Bakiev foi pressionado por manifestações até abandonar o poder. Assumiu interinamente a ministra de Relações Exteriores, Roza Otunbaieva, que convocou eleições para dali a seis meses.

Um referendo sobre a nova constituição está previsto para o dia 27 de junho, que, se aprovado, dá mais poder ao Parlamento. O objetivo é evitar a concentração de poder em única pessoa ou família.

Há suspeitas de que a família de Bakiev -- alijada do poder -- esteja por trás da violência para desestabilizar o governo em exercício.

Em Talas, no noroeste do país, moradores promoveram uma violenta manifestação em 6 de abril, durante a qual ocuparam centros administrativos e sequestraram governantes locais.

No dia seguinte, as turbulências chegaram à capital Bishkek. Um protesto com mais de 5 mil pessoas, que marcharam na direção do palácio presidencial, resultou na morte de 84 pessoas que confrontaram forças de segurança.

No dia 21 de abril, já no exílio em Belarus, Bakiev voltou atrás e afirmou que nunca renunciou ao cargo de presidente do Quirguistão. Seus apoiadores, no norte do país, saíram em sua defesa e contra os revoltosos. Estima-se que centenas de pessoas podem ter morrido nos confrontos entre revoltosos e tropas oficiais.

Localizado no centro da Ásia, o Quirguistão teve grande parte de seu território formalmente anexado à Rússia no século 19. Em meio à Segunda Guerra Mundial, os quirguizes se revoltaram contra o czar russo, mas foram derrotados.

Em 1936, o país se uniu à União Soviética – separando-se apenas em 1991. A economia quirguiz é baseada em agricultura e sua indústria é incipiente.

Raio-X

Nome oficial: República Quirguiz
Capital: Bishkek
Divisão: sete províncias
Área: 199.951 quilômetros quadrados
População: 5.508.626
Expectativa de vida: 69,7 anos
Idioma: quirguiz (64,7%), uzbeque (13,6%), russo (12,5%), dungun (1%) e outros (8,2%)
Grupos étnicos: quirguizes (64,9%), uzbeques (13,8%), russos (12,5), dungan (1,1%), ucranianos (1%), uigures (1%), outros (5,7%)
Religião: muçulmanos (75%), católicos ortodoxos (20%), outros (5%)
Produto Interno Bruto: US$ 5 bilhões (2008)
Renda per capita anual: US$ 2,1 mil (2009)
População abaixo da linha da pobreza: 40% (2004)
Taxa de desemprego: 18% (2004)
Usuários de internet: 850 mil (2008)
Refugiados pela crise: 200 mil pessoas

Fontes: ONU e CIA
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos