Ex-ditador é eleito presidente do Suriname

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

  • Ranu Abhelakh/Reuters

    Desi Bouterse sorri após votação que o elegeu presidente do Suriname. O líder é acusado de violações dos direitos humanos e tráfico de drogas

    Desi Bouterse sorri após votação que o elegeu presidente do Suriname. O líder é acusado de violações dos direitos humanos e tráfico de drogas

O ex-ditador do Suriname Desi Bouterse, que é processado pela execução sumária de um grupo de opositores e foi condenado por narcotráfico, tornou-se nesta segunda-feira (19) presidente de seu país, depois de obter o apoio da maioria no Parlamento.

Em eleição indireta, Bouterse recebeu 36 votos entre os 50 parlamentares presentes e vai tomar posse em 3 de agosto. O ex-militar de 66 anos já foi mandatário do país em outras ocasiões ao liderar golpes militares, mas essa é a primeira vez que vence uma eleição.

Quando o resultado da votação foi anunciado, partidários de Bouterse vibraram na Assembleia Nacional e do lado de fora, na Praça da Independência, onde o evento estava sendo transmitido ao vivo em telões.

"Tivemos períodos difíceis", declarou Bouterse depois de saber o resultado da eleição. "Estendo minha mão aos que se sentem opositores. Necessitamos deles e de todos para reconstruir esse país", disse, visivelmente emocionado.

Ex-colônia holandesa no norte da América do Sul, o Suriname conquistou a independência em 1975 e atualmente tem na mineração de ouro e bauxita a base de sua economia. Também há uma incipiente indústria de exploração de petróleo.

Antecedentes

Bouterse foi julgado e condenado à revelia a 11 anos de prisão por tráfico de cocaína em um tribunal de Amsterdã (Holanda), motivo pelo qual o governo holandês mantém um pedido de extradição contra ele.

Em 1999, o governo da Holanda enviou ao Brasil uma série de documentos denunciando a família Bouterse. Além do futuro presidente, o documento acusa o filho dele, Dino Bouterse. Pelas investigações dos holandeses, Dino comandou cinco operações de troca de armas por drogas com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Bouterse também é alvo atualmente de um processo por execuções sumárias cometidas em dezembro de 1982 de 13 civis e dois militares que se opunham a seu regime. Se for condenado, poderá enfrentar até 20 anos de prisão.

Relação com Brasil

Brasil e Suriname mantêm relações diplomáticas e políticas. Mas nos últimos meses dois episódios causaram tensões ente os países. Em dezembro passado, cerca de 200 estrangeiros, alguns deles brasileiros, foram atacados na região da cidade de Albina, por quilombolas surinameses. Foram feridos 14 brasileiros, sete dos quais gravemente.

Em maio, 28 brasileiros foram presos por autoridades do Suriname sob suspeitas de garimpo ilegal no país. Pelos cálculos da Embaixada do Brasil no Suriname, há cerca de 20 mil brasileiros vivendo no país, a maioria deles procedente de Maranhão, Amapá e Pará.

O perfil de brasileiros que procuram o Suriname é de trabalhadores do campo, do garimpo e de atividades domésticas. Muitos não têm documentação adequada com medo de serem expulsos do país.

*Com agências internacionais e Agência Brasil

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos