Ahmadinejad diz que sanções não atrapalham setores de petróleo e gás do Irã

Renata Giraldi
Da Agência Brasil
Em Brasília

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou hoje (2) que as sanções impostas por parte da comunidade internacional desde junho não afetarão os setores de petróleo, gás e outras áreas específicas da economia do país. Ele disse ainda que vai se empenhar para concluir o processo de nacionalização do setor petrolífero no país, mas não mencionou prazos. O presidente atribuiu às “grandes potências” decisões que atrapalham a nacionalização do petróleo iraniano.

As informações são da rede estatal de televisão PressTV e da agência oficial iraniana, a Irna. "Nós acreditamos que todas as peças relacionadas com a indústria do petróleo do Irã possam ser produzidas no país. A expectativa é de que todas as metas colocadas como necessidades da indústria do petróleo sejam atingidas nos próximos anos", disse Ahmadinejad durante reunião com dirigentes de indústria de petróleo.

Segundo ele, o esforço será para concluir o processo de nacionalização. “A indústria de petróleo do Irã será totalmente nacionalizada, incluindo todos os processos de produção. Essa decisão não tem apenas aspectos políticos, mas [envolve] também o destino do Irã e de muitos outros países da região”.

O presidente do Irã atribuiu, porém, a “forças estrangeiras” os impedimentos que limitam os supostos avanços no processo de nacionalização do setor petrolífero. “O processo não foi concluído ainda porque alguns fatores fazem a indústria do petróleo ser influenciada por forças estrangeiras”, disse.

Para ele, os preços do petróleo estão ainda sob a influência de “potências estrangeiras” que são os principais clientes do setor. De acordo com o presidente, os preços atuais do petróleo não são reais.

Ontem (1º) Ahmadinejad voltou a condenar as sanções impostas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, a União Europeia, os Estados Unidos e o Canadá desde junho. Segundo ele, as restrições fazem parte de uma manobra com fins políticos. “A natureza das sanções ao Irã [pertence] a um jogo político”, afirmou.

As medidas impostas por parte da comunidade internacional atingem vários setores da economia do Irã, mas principalmente as áreas comercial e militar. Também há restrições às operações bancárias e ao transporte marítimo de mercadorias. As sanções são uma forma de a comunidade internacional pressionar o Irã a abandonar o desenvolvimento do programa nuclear, suspeito de esconder a produção de armas atômicas. Ahmadinejad nega as suspeitas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos