BP começa operação para acabar com vazamento de petróleo em definitivo

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

A BP anunciou na tarde desta terça-feira (3) que começou a bombear lama para dentro do poço de petróleo no golfo do México, em uma operação que pretende encerrar o vazamento de modo definitivo.

Ações da BP caíram 37% desde início do vazamento

O vazamento no Golfo do México fez as ações da BP despencarem 37%. Essa foi a perda registrada entre o dia 20 de abril, quando a plataforma Deepwater Horizon explodiu, até esta terça-feira, quando a empresa começou procedimento para tentar fechar o poço em definitivo. Além disso, a britânica teve prejuízo recorde de US$ 17 bilhões no segundo trimestre

A companhia britânica planeja injetar lama pesada e, provavelmente, cimento, para dentro do poço, com o objetivo de impedir que o petróleo volte a jorrar por este buraco. De acordo com o almirante Thad Allen, encarregado pela Casa Branca de cuidar do desastre, o procedimento deve durar entre 30 e 60 horas.

Uma tampa experimental mantém o vazamento sob controle há mais de duas semanas, mas essa medida sempre foi descrita pela BP como um recurso temporário, até que fosse aplicada uma solução definitiva.

O procedimento de hoje, no entanto, nunca foi testado e uma tentativa similar fracassou no fim de maio. De acordo com os dirigentes do grupo, deve ser possível saber, algumas horas depois que a operação "static kill" começar, se a intervenção será bem-sucedida.

Em seguida, uma operação denominada de "bottom kill" será colocada em prática entre os dias 11 e 15 de agosto. Esta permitirá a confirmação do sucesso, ou do fracasso, da tentativa de cimentar o poço principal através de secundários.

Vazamento recorde

Ontem, o governo dos EUA anunciou que cerca de 780 milhões de litros de petróleo vazaram no golfo do México desde que a plataforma Deepwater Horizon explodiu, há 106 dias.

"No total, as equipes de pesquisadores estimam que aproximadamente 4,9 milhões de barris de petróleo foram derramados", informou a nota oficial, detalhando que esses números são os mais precisos até o momento, com uma margem de erro estimada de 10%, para mais ou para menos.

A nota acrescenta que "as atividades de contenção da BP, sob supervisão do governo dos Estados Unidos, capturaram aproximadamente 800 mil barris de petróleo antes de fechar o poço".

Como essa quantidade é equivalente a 16% do total, se conclui que 84% do óleo vazado ainda está espalhado pelo golfo.

O volume derramado é o maior da história da indústria petrolífera entre os vazamentos acidentais. O segundo maior é um desastre de 1979, também no golfo do México, quando foram derramados 3,3 milhões de barris após a explosão de uma plataforma da companhia Pemex.

O maior de todos foi um derramamento intencional, feito pelas forças iraquianas durante a Guerra do Golfo, em 1991, quando entre 5 milhões e 10 milhões de barris foram despejados no golfo Pérsico.

*Com agências de notícias e msnbc.com

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos