Ahmadinejad não menciona suposto ataque e mantém desafio a Obama para o diálogo

Da Agência Brasil

Em Brasília

O gabinete do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, rebateu hoje (4) a informação de que o comboio presidencial foi alvo de um atentado enquanto viajava para o oeste do país, na direção da histórica, Hamadan. Informações da assessoria do presidente atribuem à imprensa estrangeira a suspeita do ataque com granada. Sem mencionar o incidente, Ahmadinejad discursou normalmente, defendeu o desenvolvimento da tecnologia nuclear e desafiou o presidente dos Estados Unidos para ter uma conversa com ele, segundo a rede de televisão estatal iraniana, PressTV, e a agência oficial de notícias do Irã, a Irna. Em setembro, o iraniano irá à sessão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, em Nova York, quando espera encontrar Obama.

Hamadan fica a oeste de Teerã

  • Arte UOL

De acordo com as informações oficiais, houve uma explosão de fogos de artíficio a 500 metros de onde estava o comboio presidencial. Uma pessoa foi detida para averiguação. Mas não há menção a feridos nem mortos.

Porém, emissoras privadas de televisão do Irã dizem que o comboio presidencial foi alvejado por uma granada, mas o suposto ataque não atingiu Ahmadinejad. Haveria feridos e uma pessoa teria sido presa por suspeita de envolvimento no episódio.

Ao chegar a Hamadan, Ahmadinejad não comentou sobre o incidente durante o seu discurso que foi transmitido ao vivo pela televisão estatal iraniana. No discurso, o presidente reiterou que o irã está interessado em um diálogo baseado na justiça e no respeito mútuo em resposta à pressão internacional para que abandone o desenvolvimento do programa nuclear.

Ontem (3) o governo do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, endureceu ainda mais o pacote de sanções ao Irã. Na página do Departamento do Tesouro norte-americano, na internet, foi divulgada uma lista com 21 nomes de empresas dos setores bancário, de investimentos, indústrias e engenharia que estão proibidas de manter relações com os Estados Unidos.

Mas, durante o discurso hoje, Ahmadinejad demonstrou não se preocupar com a nova rodada de sanções. “A nação iraniana não dá atenção a essas políticas do Ocidente. O povo iraniano quer construir seu próprio país e o fará”, disse ele. “Os Estados Unidos tentam obter privilégios exercendo pressões sobre a nação iraniana”, acrescentou.

Em seguida, Ahmadinejad afirmou que a pressão não vai atrapalhar a indústria petrolífera do país e que todos comemorarão quando os estrangeiros deixarem o setor. O presidente iraniano disse estar “chocado por conspirações dos inimigos” à nação do Irã. Segundo ele, há uma atitude “colonial” das grandes potências no tratamento com os iranianos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos