Brasil elogia retomada das relações entre Venezuela e Colômbia

Do UOL Notícias

Em São Paulo

O Brasil anunciou na noite desta terça-feira (10) que recebe com "satisfação" a retomada plena das relações entre Colômbia e Venezuela, após acordo estabelecido entre os presidentes dos dois países.

"O governo brasileiro congratula-se com os governos da Colômbia e da Venezuela pela decisão, que abre nova oportunidade para a retomada do dinamismo e do entendimento que historicamente caracterizam as relações entre os dois países", afirma nota emitira pelo Itamaraty.

"O Brasil saúda a decisão também pela importância do diálogo entre Caracas e Bogotá para o avanço da integração sul-americana. Nesse contexto, o governo brasileiro manifesta seu apreço pelas gestões empreendidas pelo Secretário-Geral da UNASUL, Néstor Kirchner, para a promoção do entendimento entre a Venezuela e a Colômbia", acrescenta a nota.

O ministério das Relações Exteriores também indicou que "o Brasil reitera sua disposição de seguir cooperando - por meios bilaterais e no âmbito da UNASUL - com as autoridades venezuelanas e colombianas para consolidar esta nova etapa de diálogo, em benefício da paz e da prosperidade regionais".

Declaração de princípios

Venezuela e Colômbia concordaram em retomar as relações a partir do estabelecimento de uma "declaração de princípios", que estabelece o respeito às leis internacionais, respeito à soberania e não intervencionismo.

O acordo de hoje prevê ainda o pagamento das dívidas que Venezuela tem com os exportadores colombianos, medidas de desenvolvimento da região da fronteira e matérias de infraestrutura conjunta.

Em referência às farpas trocadas no passado, o recém empossado presidente Santos afirmou que “pessoas que tivemos tantas diferenças como nós e decidiram virar a página – isso é algo que temos que celebrar”.

Ao seu lado, Chávez reiterou que o governo da Venezuela “não apoia, nem permite a presença da guerrilha, do terrorismo ou do narcotráfico” em seu território.

“Eu me sinto colombiano, aqui me sinto em minha pátria”, declarou Chávez, e reiterou em seguida que reconhece plenamente a autoridade de Santos como presidente.

Histórico

Chávez havia rompido relações diplomáticas com Colômbia no último dia 22 de julho, logo após o governo chefiado por Álvaro Uribe acusar a Venezuela de ser tolerante com guerrilheiros colombianos.

O presidente da Venezuela negou as acusações e acusou a Colômbia de planejar um ataque militar, alimentando um embate que se manteve até o final do mandato de Uribe, no último sábado, quando Santos assumiu o poder.

As relações bilaterais já estavam em suspenso desde o ano passado devido às divergências da Venezuela por causa de um acordo militar que a Colômbia assinou com os Estados Unidos, e por causa da escalada no enfrentamento que Chávez e Uribe mantiveram nos últimos anos.

Esse esfriamento provocou a perda de dezenas de milhares de empregos na região da fronteira, assim como uma grande queda das exportações colombianas para a Venezuela.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos