Santos promete fazer "tudo o que estiver ao alcance" para superar crise com Venezuela

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse nesta terça-feira (10) que fará "tudo o que estiver ao alcance" para melhorar as relações com a Venezuela. A declaração foi feita na chegada à cidade de Santa Marta (Colômbia), onde Santos receberá o presidente  venezuelano, Hugo Chávez.

"Somos otimistas, temos muita vontade de que esta reunião produza efeitos efetivos e duradouros pelo bem dos nossos povos. Faremos tudo o que estiver ao alcance, buscaremos todos os mecanismos", disse Santos em sua chegada a Santa Marta, litoral norte colombiano, banhado pelo mar do Caribe.

"Estamos nesta cidade histórica e vamos a um local igualmente histórico buscar que as relações entre dois países irmãos possam se restabelecer sobre bases firmes e duráveis", acrescentou o presidente.

"Estamos otimistas, mas sem gerar muitas expectativas porque acho que depois da reunião é quando realmente poderemos saber seus resultados. Peço a Deus e ao Libertador [Simón Bolívar] que nos inspirem para que tomemos as decisões mais acertadas em benefício dos nossos dois povos", disse Santos.

O presidente colombiano chegou a Santa Marta, vindo de Bogotá, às 12h35 locais (14h35 locais), em um avião da Força Aérea Colombiana que trazia as bandeiras da Colômbia e da Venezuela tremulando nas janelas da cabine do piloto.

A reunião de Santos e Chávez, após a qual podem ser retomadas as relações entre os dois países, será celebrada na Quinta San Pedro Alejandrino, casa na qual morreu o Libertador das duas nações, Simón Bolivar, em 17 de dezembro de 1830.

De sua parte, o presidente venezuelano também se mostrou otimista sobre a possibilidade de paz. "Depois de tantas adversidades, ratifico meu amor à Colômbia, que será eterno. Queremos construir a paz entre nós, custe o que custar", disse Chávez na chegada ao aeroporto de Santa Marta.

Tensões entre os vizinhos andinos aumentaram há mais de um ano, com o socialista Chávez impondo o que a Colômbia diz ser um embargo comercial. Mas as negociações desta terça na cidade de Santa Marta poderiam encerrar o impasse.

No centro da disputa estão as alegações colombianas de que Chávez abriga guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em seu território, além das reclamações da Venezuela sobre o acordo militar da Colômbia permitindo o acesso de tropas norte-americanas a suas bases militares.

*Com agências internacionais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos