Motorista de Bin Laden é condenado a 14 anos de prisão

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

  • Janet Hamlin/AP

    O sudanês Ibrahim Al Qosi, um ex-motorista de Osama bin Laden, em desenho feito durante seu julgamento em um tribunal militar em Guantánamo

    O sudanês Ibrahim Al Qosi, um ex-motorista de Osama bin Laden, em desenho feito durante seu julgamento em um tribunal militar em Guantánamo

Uma corte militar da base naval norte-americana de Guantánamo condenou nesta quarta-feira (11) o sudanês Ibrahim al Qosi a 14 anos de prisão por envolvimento com terrorismo internacional.

No último mês, após oito anos detido em Guantánamo, Al Qosi se declarou culpado de apoio material ao terrorismo. Com a confissão, a defesa conseguiu um acordo com a promotoria e evitou uma pena que poderia chegar à prisão perpétua.

Al Qosi declarou ter trabalhado entre 1996 e 2001 como motorista, cozinheiro e assistente de Osama bin Laden, líder da rede Al Qaeda.

Segundo a agência Reuters, graças aos termos do acordo - que é mantido em sigilo - Al Qosi poderia deixar a prisão mesmo antes dos 14 anos.

Os tribunais de exceção foram criados durante o governo George W. Bush para os prisioneiros da "guerra contra o terrorismo", lançada no Afeganistão depois dos atentados de 11 de setembro, em enfrentamento contra a Al Qaeda.

Contudo, os métodos aplicados em Guantánamo são criticados por órgãos de direitos humanos, o que motivou o atual presidente, Barack Obama, a prometer o fechamento da prisão, sem sucesso até agora.

*Com agências internacionais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos