Como o Brasil é visto pelos estrangeiros: economia vai bem, violência é problema

Do UOL Notícias
Em São Paulo

Os governos e empresas estrangeiros com representação no Brasil estão "moderadamente otimistas" em relação ao país, em especial com as políticas econômicas, mas percebem um aumento na situação da violência, de acordo com os resultados de um novo indicador apresentado nesta quinta-feira (19) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Em uma escala de -100 (muito pessimista) até +100 (muito otimista), o "Monitor da Percepção Internacional do Brasil" aponta que, em conjunto, a avaliação sobre a economia (+24), o governo e as instituições (+30) e os avanços sociais no país (+7)  é "moderadamente otimista".

Destaques da pesquisa

Crescimento do Produto Interno Bruto brasileiro nos próximos 12 meses+59
Condições gerais de crédito e taxas de juros nos próximos 12 meses+3
Variação da influência do Brasil na América Latina nos últimos 12 meses+35
Variação da segurança jurídica no Brasil nos últimos 12 meses-4
Condução da política econômica nos últimos 12 meses+59
Expectativa sobre a queda da desigualdade de renda nos próximos 12 meses+25
Expectativa sobre a queda no percentual da população vivendo em condições de pobreza nos próximos 12 meses+32
Percepção da variação no nível de violência nos últimos 12 meses-37
  • Respostas variam entre -100 (muito pessimista) e +100 (muito otimista)

Esses números são resultado de um levantamento do Ipea (uma fundação pública federal vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência), que aplicou em julho um questionário a 170 entidades internacionais presentes no Brasil, entre representações de governos (embaixadas ou consulados), câmaras de comércio, empresas com controle estrangeiro e organizações multilaterais.

O questionário foi formado por 15 perguntas de múltipla escolha, cada uma delas também variando de -100 a + 100. Entre as questões, apresentaram resultados com maior otimismo a expectativa de crescimento do PIB (+59) e a percepção de que nos últimos 12 meses a condução da política econômica foi favorável a crescimento com estabilidade (+59).

Os dois únicos resultados negativos foram a percepção sobre a variação da segurança jurídica no Brasil nos últimos 12 meses (-4) e a variação no nível de violência no país no mesmo período (-37).

Indicadores conjunturais

A partir dos resultados parciais dessas 15 questões, o Ipea formou três grandes indicadores conjunturais.

A área com resultado geral mais positivo foi "política, governo e instituições" (+30), que leva em conta a percepção sobre a influência do Brasil em instituições internacionais, a condução da política econômica, as políticas sociais e a atratividade do ambiente político brasileiro para as empresas dispostas a investir aqui.

O resultado do indicador "economia" (+24) foi formado a partir das expectativas sobre o crescimento do PIB, da inflação, do nível de acesso a bens de consumo e condições de infraestrutura. O resultado menos otimista nessa área ficou com a questão sobre a oferta de crédito e evolução dos juros (+3).

O último indicador, "sociedade" (+7), foi o que obteve o pior resultado dos três, principalmente por causa da percepção de que a violência aumentou no país. As outras duas variáveis desse indicador, desigualdade de renda e população em condição de pobreza, obtiveram avaliações "moderadamente otimistas".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos