PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ataque a hotel deixa no mínimo 32 mortos na Somália

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

24/08/2010 09h23

Um grupo de homens armados, usando uniforme militar, invadiu nesta terça-feira (24) um hotel frequentado por autoridades na Somália, próximo ao palácio presidencial. No mínimo 32 pessoas foram mortos, incluindo seis parlamentares somalis, segundo a agência de notícias Associated Press.

Testemunhas descreveram cenas de horror com corpos espalhados no Hotel Muna e hóspedes fugindo pelas janelas. O hotel fica em uma área da capital controlada pelo governo, situada entre o palácio presidencial e o oceano Índico.

O ataque acontece menos de 24 horas depois que um grupo de militantes do país, o al Shabaab, ameaçou uma guerra maciça contra o que eles consideram como invasores, os seis mil soldados das tropas da União Africana, em Mogadício.

O grupo islâmico radical al Shabaab, ligado à rede al Qaeda, desencadeia há três anos uma rebelião contra o frágil governo do país, apoiado pelo Ocidente, e controla a maior parte da capital somáli, Mogadíscio. Na capital, uma pequena região próxima ao aeroporto é controlada pelo governo, mas o al Shabaab frequentemente se infiltra na área.

Nenhum grupo assumiu de imediato a responsabilidade pelo atentado. Sheik Al Mohamud Rage, um porta-voz do al Shabaab, disse que membros das "forças especiais" do grupo continuam a atacar aqueles que "ajudam os infiéis".

Um sobrevivente descreveu um intenso tiroteio no quarto andar do hotel. Saynab Qayad, uma representante do parlamento hospedada no hotel, disse que foi despertada pelo som de disparos. Três parlamentares que estavam no quarto andar sacaram suas armas enquanto outros hóspedes fugiram pela janela, disse Qayad.

"A fumaça invadiu meu quarto depois que tiros quebraram minha janela. Eu me escondi em um canto do quato. Um hóspede ao lado veio à minha porta gritando: 'Saia! Saia!" Então saí enquanto tiros vinham de todos os lados. Voltei ao meu quarto e tranquei a porta. Então, um funcionário do hotel me chamou e me colocou em um quarto no segundo andar com outros quatro sobreviventes", disse. "O corpo de um parlamentar estava caído na porta de um pequeno quarto", acrescentou.

Com o ataque ao Hotel Muna, o número de mortos em dois dias de violência subiu para no mínimo 70. Os combates em Mogadício na segunda-feira mataram 40 pessoas, segundo autoridades da área de saúde.

* Com as agências internacionais

 

Internacional