Escapamos por um buraco no avião, relata sobrevivente de acidente aéreo na China

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

  • AP

    Sobrevivente de acidente aéreo na China é hospitalizada; pelo menos 42 pessoas morreram

    Sobrevivente de acidente aéreo na China é hospitalizada; pelo menos 42 pessoas morreram

Os sobreviventes do acidente aéreo que matou 42 pessoas na noite de terça-feira na China relataram hoje à imprensa local que conseguiram sobreviver fugindo da estrutura do avião em meio à fumaça e ao fogo.

Um homem com ferimentos leves relata ter sentido turbulência depois do anúncio de que o avião iria aterrissar. “Houve quatro ou cinco turbulências, as bagagens nos compartimentos começaram a cair. Todo mundo entrou em pânico. Quem estava no fundo começou a correr para a frente do avião”, afirmou a vítima à agência estatal de notícias Xinhua.

“Havia fumaça e eu sabia que era tóxica. Então prendi o fôlego e corri até enxergar um buraco com fogo. Eu sai e corri pelos menos uns 100 metros para assegurara que estava a salvo”.

Acidente na China

  • Imagem mostra local de queda de avião na China

A aeronave E-190 fabricada pela empresa brasileira Embraer enfrentou problemas para pousar no aeroporto Lindu, próximo à cidade de Yichun, após um voo de aproximadamente 40 minutos.

O aeroporto apresentava forte neblina no momento do acidente, mas ainda não há uma explicação oficial sobre o caso. Hoje, as autoridades chinesas retificaram que entre as 96 pessoas a bordo, 42 morreram – uma a menos do que o número divulgado na noite de ontem. Os 54 feridos foram encaminhados para hospitais da região.

“Alguém me puxou para a saída de emergência e me jogou para fora antes que eu percebesse o que estava acontecendo”, afirmou Ji Yifan, de 80 anos de idade, à Xinhua.

Ele conta que o escorregador de emergência pegou fogo quando ele deixava o avião. “Eu cai no chão e novamente alguém me puxou”, lembra Ji, em uma cama de hospital, com queimaduras no rosto, pescoço e braços.

Outro sobrevivente contou à CCTV que tentou quebrar a janela do avião com um telefone celular. “Eu vi que o avião pegava fogo. Mas a janela era muito difícil de quebrar. Então eu ouvi que havia um buraco na frente do avião e escapamos por ali”, lembra.

O capitão da aeronave, Qi Quanjun, sobreviveu com ferimentos graves, e não está em condições de relatar o que ocorreu.

O vice-ministro de aviação civil da China, Li Jian, afirmou que as conclusões das análises serão divulgadas assim que possível. “É difícil fazer qualquer especulação agora, mas será publicado, passo a passo, aquilo que encontrarmos”, afirmou.

Após a tragédia, o diretor geral da Henan Airlines, Li Qiang, foi demitido do cargo e será substituído por Cao Bo. Autoridades locais também anunciaram que todos os voos da companhia foram suspensos para avaliação das condições de segurança.

Henan Airlines tem sede na província central chinesa de mesmo nome e realiza voos menores principalmente nas rotas do norte e nordeste da China. Anteriormente a companhia se chamava Kunpeng Airlines, mas foi relançada este ano com o novo nome.

Todos os cinco aviões da Henan são do modelo E-190, fabricado pela Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica). A empresa, com sede em São José dos Campos, enviou técnicos ao local do acidente para apoiar as autoridades chinesas na investigação do caso.

Segundo a Embraer, existem atualmente 650 aviões desse modelo em operação no mundo, distribuídos em 56 companhias aéreas de 39 países, incluindo os dois aviões presidenciais do Brasil. Ainda de acordo com a companhia, este foi o primeiro caso de acidente envolvendo este tipo de avião.

*Com informações de agências internacionais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos