Família de americana presa no Irã não pode pagar a fiança, diz advogado

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

  • AFP

    Sarah Shourd, 32, a americana presa no Irã (20.mai.2010)

    Sarah Shourd, 32, a americana presa no Irã (20.mai.2010)

A família de Sarah Shourd, a americana presa do Irã, fez um apelo a autoridades iranianas para suprimirem a fiança de US$ 500 mil (R$ 850 mil) para libertá-la. De acordo com o advogado, Masoud Shafiei, a família não dispõe da quantia exigida.

Shafei afirmou à Associated Press que está analisando junto a diplomatas suíços – que coordenam as relações entre os EUA e o Irã, já que os Estados Unidos não possuem embaixada em Teerã – se é possível suspender ou diminuir a quantia.

Ontem, o Irã anunciou a cobrança para soltar Shourd. A previsão é que ela poderia ser solta ainda nesta segunda-feira.

Sarah Shourd, 32, foi presa em julho do ano passado sob as acusações de entrar no país ilegalmente e de praticar espionagem. Dois americanos que a acompanhavam continuarão presos e devem ser julgados por espionagem. A defesa do grupo afirma que eles são alpinistas e estavam escalando montanhas na fronteira entre o Iraque e o Irã quando foram presos.

O presidente Mahmoud Ahmadinejad chegou a prometer que Sarah seria libertada como um sinal de "compaixão islâmica" no final do Ramadã, o mês sagrado do Islamismo. Mas a decisão foi cancelada pela Justiça iraniana, sob alegação de que o processo legal não havia chegado ao fim.

Ontem a Justiça concluiu o processo, decidindo pela libertação de Sarah devido, entre outros fatores, a ela precisar de cuidados médicos. Shourd sofreria de um câncer em fase inicial, segundo familiares.

*Com informações da AP e da Folha de S.Paulo

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos