Topo

Após terremoto e surto de cólera, Haiti enfrenta furacão Tomas

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

2010-11-05T16:59:55

2010-11-05T17:55:26

05/11/2010 16h59Atualizada em 05/11/2010 17h55

O furacão Tomas atingiu nesta sexta-feira (5) o noroeste do Haiti, onde provocou a morte de três pessoas, causou deslizamentos de terra e deixou várias cidades inundadas.

O Haiti, que ainda se recupera da destruição causada pelo terremoto de janeiro, apresenta frágil ingraestrutura estrutura sanitária, e teme-se que as inundações pudessem agravar o recente surto de cólera no país, que já deixou mais de 450 mortos.

"Duas pessoas morreram em Leogane, que está totalmente inundada", afirmou à AFP um funcionário da Proteção Civil, em referência a uma cidade localizada a cerca de 30 km da capital Porto Príncipe.

O ministro do Interior, Paul-Antoine Bien-Aimé, anunciou mais cedo que uma pessoa morreu no sudoeste do Haiti ao tentar atravessar um rio com seu veículo, morte que também foi atribuída às chuvas que acompanham o furacão.

Segundo o Centro Americano de Furacões (NHC), de Miami, Tomas deixou de ser tempestade tropical e se transformou em furacão antes de chegar à região de Haiti e Cuba, com ventos que passam de 140 km/h .

"O fato de que o Haiti tenha um forte desflorestamento poderia agravar ainda mais a situação, já que não há vegetação para frear a lama" nos deslizamentos de terra, afirmou Elizabeth Byrs, a porta-voz do Escritório de Coordenaão de Assuntos Humanitários da ONU (Ocha).

Pedido de ajuda à Europa

O governo do Haiti solicitou nesta sexta-feira ajuda à União Europeia (UE) para enfrentar o furacão Tomas, que provocou inundações no país.

Segundo a Comissão Europeia (órgão executivo da UE), o Haiti pediu ao bloco lonas, mosquiteiros e purificadores de água.

A UE está pronta para ajudar, "seguindo uma rápida análise das necessidades, a fim de assistir à população haitiana a enfrentar" o furacão, destacou comunicado.

De acordo com Byrs, a ONU teme que meio milhão de pessoas sejam afetadas pelo furacão, em especial aqueles que vivem em acampamentos para desabrigados.

Alerta na Jamaica e em Cuba

Na Jamaica, mais de 100 pessoas tiveram que buscar refúgio por causa da passagem do furacão Tomas, mas até o momento não se reportam mortes no país.

As autoridades jamaicanas emitiram avisos de vigilância de tempestade e furacão, onde aconteceram deslizamentos de terra e inundações no leste do país.

Os colégios no leste da Jamaica e na capital Kingston permanecem fechados nesta sexta-feira pelo segundo dia consecutivo. As autoridades ressaltaram que os serviços de água e eletricidade estão funcionando normalmente.

Em Cuba, a 100 km de distância do Haiti, o furacão causou problemas em Guantánamo, Granma e Santiago de Cuba.

Na semana passada, o furacão Tomas deixou 14 mortos em sua passagem pela ilha caribenha de Santa Lúcia.

*Com agências de notícias