Crise no mundo árabe: Hillary pede fim do "banho de sangue" na Líbia

Do UOL Notícias

Em São Paulo

(19h31) A chefe da diplomacia americana, Hillary Clinton, pediu nesta segunda-feira o "fim do banho de sangue inaceitável" na Líbia, e se disse "alarmada" pela situação naquele país.


"O mundo observa alarmado a situação na Líbia", e os Estados Unidos "unem-se à comunidade internacional para condenar firmemente a violência" nesse país, disse a secretária de Estado em um comunicado.

O número de mortos nos dias de confrontos entre manifestantes e as forças de segurança da Líbia chegou a 233, informou a organização Human Rights Watch. Fontes ouvidas pela organização em dois hospitais na cidade de Benghazi, a segunda maior do país, relataram que mais de 60 pessoas morreram apenas no domingo (20), um dos dias mais violentos dos protestos.

A situação hoje em Trípoli, capital da Líbia, é de máxima tensão, com corpos dispostos nas ruas e contínuos barulhos de tiros em vários bairros da cidade, inclusive de projéteis de artilharia pesada, segundo constatou a Agência EFE e assim como relataram habitantes de várias áreas da capital. A capital registrou os primeiros protestos desde o início das manifestações.

Espaço aéreo reaberto

(20h13) Fontes do Ministério da Defesa da Áustria indicaram que o espaço aéreo sobre a capital da Líbia, Trípoli, foi reaberto e que uma aeronave militar C-130 austríaca obteve autorização para deixar o país rumo à ilha de Malta (que pertence à União Europeia), levando 62 europeus.

  • Arte UOL

Filho de Gaddafi nega bombardeio de civis

(19h33) Seif al Islam, filho do líder líbio, Muammar Kadafi, afirmou hoje que os aviões das forças armadas do país bombardearam depósitos de armas situadas longe das zonas urbanas e negou que tenham lançado bombas sobre a população, segundo a televisão estatal.

Violência na Líbia atingiu nível inaceitável, diz Patriota

(18h12) O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, condenou a repressão a manifestantes na Líbia e disse que um avião com brasileiros está aguardando autorização para deixar a cidade de Benghazi com destino à capital Trípoli. "O Brasil repudia atos de violência contra manifestantes desarmados e vemos com grande preocupação os desenvolvimentos na Líbia. Parece que alcançaram um padrão de violência absolutamente inaceitável", disse Patriota em entrevista coletiva em São Paulo.

Tunísia pede à Arábia Saudita extradição da esposa de Ben Ali

(18h07) A Tunísia pediu oficialmente nesta segunda-feira à Arábia Saudita a extradição de Leila Trabelsi, esposa do presidente deposto da Tunísia, Ben Ali, segundo informações de uma fonte do ministério das Relações Exteriores.

Missão líbia na ONU abandona regime para apoiar revolta

(17h52) A missão líbia na ONU anunciou a ruptura da relação com o regime de seu país para apoiar os manifestantes, anunciou nesta segunda-feira o jornal "Los Angeles Times".

Berlusconi considera "inaceitável" uso da violência contra civis na Líbia

(17h51) O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, se mostrou nesta segunda-feira "alarmado" pelas revoltas na Líbia e pelo "uso inaceitável da violência contra a população civil" na região. Em um comunicado, ele pediu à União Europeia (UE) e à comunidade internacional para que trabalhem com o objetivo de evitar que a tensão resulte em uma guerra civil.

"Gaddaffi não queria Israel e hoje Líbia ficará sem Gaddafi", diz Shimon Peres

(17h22) O presidente israelense, Shimon Peres, destacou nesta segunda-feira "a ironia do destino", ao relembrar que o líder líbio expressou há poucos dias seu desejo que houvesse "um Oriente Médio sem Israel" e agora os eventos apontam que "a Líbia que ficará sem Kadafi".

Sarkozy condena "uso inaceitável da força" na Líbia

(16h14) Em um breve comunicado, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, condenou "o uso inaceitável da força" contra os manifestantes na Líbia. Sarkozy afirmou que a violência contra os líbios é "inaceitável" porque os cidadãos só "exercem seu direito fundamental a manifestar-se e a expressar-se livremente".

Hezbollah condena crimes do regime de Gaddafi

(16h06) O grupo xiita libanês Hezbollah condenou energicamente em comunicado os crimes cometidos pelo regime de Muammar Gaddafi contra "os filhos inocentes e resistentes do povo líbio", ao quais desejou vitória.

Líbia: 10 egípcios morrem perto da fronteira com o Egito

(16h03) Dez egípcios que fugiam da Líbia morreram por disparos na cidade de Tobruk, perto da fronteira com o Egito, indicou nesta segunda-feira à AFP um médico egípcio que viajava para a Líbia, citando relatos de testemunhas. O médico disse que tentava viajar para a Líbia com uma equipe de resgate quando o grupo foi impedido de cruzar a fronteira no posto de Solum, no Egito.

Força Aérea da Líbia bombardeia bairros da capital para reprimir manifestações

(15h13) Segundo informações da rede de televisão "Al Jazeera", as forças de segurança da Líbia teriam bombardeado bairros da capital, Trípoli, para inibir as manifestações contrárias ao governo. A emissora não deu mais detalhes sobre a operação.

Filho promete investigar violência

(14h42) Seif al-Islam, o filho do dirigente líbio Muammar Gaddafi, anunciou nesta segunda-feira (21) a criação de uma comissão para investigar a violenta repressão dos manifestantes, segundo informações da televisão estatal.

A comissão, que será dirigida por um juiz, incluirá "membros de organizações de direitos humanas líbias e estrangeiras", acrescentou a fonte.

EUA pedem que funcionários não essenciais deixem Líbia

(14h34) Os Estados Unidos pediram que todo seu pessoal diplomático não essencial deixe a Líbia e alertaram cidadãos americanos a evitar viajar para o país do norte da África por conta dos protestos antirregime. "O Departamento de Estado ordenou que todos os familiares de funcionários da embaixada e pessoal não emergencial deixem a Líbia", informou um comunicado.

Governo venezuelano nega que Gaddafi fugiu para o país

(14h26) O governo venezuelano negou as informações segundo as quais o dirigente líbio Muammar Gaddafi pode estar a caminho da Venezuela, conforme afirmou o o ministro britânico das Relações Exteriores, William Hague. Fontes do governo venezuelano asseguraram que não têm até o momento nenhum contato com o dirigente líbio.

Ban Ki-Moon pede que Gaddafi cesse a violência de imediato

(14h07) O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, voltou a pedir nesta segunda-feira que o governo da Líbia cesse a violência contra os manifestantes que pedem a saída do presidente Muammar Gaddafi. "O secretário-geal expressou sua profunda preocupação pela escalada da violência e enfatizou que ela deve cessar imediatamente", disse o porta-voz Martin Nesirky.

Funcionários da Petrobras em segurança

(13h23) Os protestos contra o governo da Líbia não colocaram em risco os funcionários da Petrobras no país do norte da África. A estatal tem menos de dez funcionários no país, atuando em atividade exploratória em áreas terrestres, na área da capital Trípoli. O presidente da companhia, José Sergio Gabrilelli, afirmou que a atividade da empresa no local é "muito pequena."

Egípcio dá nome de Facebook à filha

(13h17) Com o intuito de comemorar a revolução egípcia que culminou com a queda do ditador Hosni Mubarak, um pai egípcio deu o nome de Facebook à filha recém-nascida, segundo informou o site TechCrunch neste final de semana.

Bélgica vai investigar uso de armas vendidas à Líbia

(12h43) O governo regional da Valônia (sul da Bélgica), criticado por ter autorizado a venta de armas à Líbia, informou que pretende de averiguar se o armamento foi utilizado na repressão dos protestos contra o regime de Muammar Gaddafi. O embaixador belga em Trípoli obterá informações sobre o uso final das armas interrogando as "autoridades líbias e outros contatos", informou à AFP Christopher Barzal, porta-voz do ministro-presidente valão Rudy Demotte.

Ministro da Justiça da Líbia renuncia em protesto contra violência

(11h55) O ministro líbio da Justiça, Mustafá Abdel Yalil, deixou seu cargo nesta segunda-feira (21) "para protestar contra o uso excessivo da força contra os manifestantes" na Líbia, informou um jornal líbio em sua edição on-line.

Polícia abandona a cidade líbia de Zauia

(10h40) A polícia líbia debandonou no domingo da cidade de Zauia (60 km a oeste de Trípoli), que, desde então, está mergulhada no mais completo caos, informaram vários tunisianos que fugiram para Ben Guerdan (Tunísia), perto da fronteira entre os dois países.

Duas cidades sob controle da oposição

(10h38) Pelo menos duas cidades já estão sob controle dos manifestantes que protestam contra o governo do presidente da Líbia, Muammar Gaddafi, segundo informações das agências de notícias. Além de Benghazi, onde dezenas de pessoas foram mortas desde que começaram os protestos na semana passada e que já estaria sob controle dos moradores, Jalu, ao sul de Benghazi, também foi tomada pelos opositores de Gaddafi, informou um turco preso na localidade ao canal "NTV".

 A Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH), por sua vez, declarou nesta segunda-feira que os manifestantes estão com o controle de várias cidades da Líbia, como Benghazi e Syrta. Segundo a FIDH, em Trípoli há uma "resistência que se desenvolve" contra o regime de Muammar Gaddafi, que adotou "a estratégia do caos", disse Souhair.

Veja imagens dos protestos na Líbia

Ex-membro do governo Gaddafi pede diálogo com oposição

(10h26) Os dirigentes da Líbia têm de começar a dialogar com a oposição e discutir a elaboração de uma Constituição, disse nesta segunda-feira (21) um ex-integrante do governo do presidente Muammar Gaddafi. Em um comunicado que expõe as divisões dentro da elite governante da Líbia, Mohamed Bayou, que até o mês passado era o principal porta-voz do governo, disse que os dirigentes do país estão errados em ameaçar recorrer à violência contra seus opositores e pediu a Saif al-Islam Gaddafi, filho de Gaddafi, que inicie conversações com a oposição.

Premiê britânico pedirá fim da lei de emergência no Egito

(10h22) O primeiro-ministro britânico, David Cameron, pedirá a suspensão das leis de emergência no Egito durante sua visita oficial ao Cairo nesta segunda-feira (21), disse uma autoridade britânica. A suspensão das leis é uma das principais exigências dos manifestantes que derrubaram o ex-presidente Hosni Mubarak.

Líbia, o quarto produtor de petróleo da África

(10h17) Líbia, membro da Organização de Países Produtores de Petróleo (Opep), é o quarto produtor de petróleo da África, depois da Nigéria, Argélia e Angola, com cerca de 1,8 milhão de barris diários e possui reservas avaliadas em 42 bilhões de barris. Leia mais

Mais de 2.300 tunisianos abandonaram a Líbia

(10h13) Mais de 2.300 tunisianos residentes na Líbia abandonaram o país desde domingo por razões de segurança, informou a agência oficial tusinisiana TAP. Os tunisianos que vivem em Benghazi (leste) e outras cidades afetadas pela rebelião contra o regime do coronel Muamar Kadhafi estão encontrando dificuldades para chegar à fronteira por questões de segurança.

Roma monta plano para retirar italianos da Líbia

(9h49) A Itália já tem um plano para retirar seus cidadãos da Líbia, informou nesta segunda-feira uma alta funcionária da diplomacia do país à agência de notícias Ansa. "Estão prontos os planos de evacuação caso [isso] seja necessário, mas ainda não foi autorizado", declarou Stefania Craxi, subsecretária do Ministério das Relações Exteriores da Itália, sobre a situação dos cidadãos italianos no país de Muammar Gaddafi.

Ataque de manifestantes a banco no Marrocos deixa 5 mortos

(9h41) O ataque de manifestantes a uma filial bancária em Alhucemas, no norte do Marrocos, provocou a morte de cinco pessoas por carbonização na noite de domingo (20), informou nesta segunda-feira o ministro do Interior, Taieb Cherkaoui.

Oposição critica Berlusconi por dizer que não quer "incomodar" Gaddafi

(9h39) As declarações do primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, de que não poderia "incomodar" o líder líbio, Muammar Gaddafi, pelo fato de a situação na Líbia estar em evolução, geraram duras críticas da oposição. "O que a oposição pode fazer além de exigir que se preste atenção na grave situação que o norte da África está vivendo? A única coisa que se escutou de Berlusconi, perante um mundo que está sendo derrubado, é que não quer incomodar Kadafi", afirmou o líder da Itália dos Valores (IDV), Antonio Di Pietro, nesta segunda-feira.

Irmandade do Egito pede reforma mais ampla no governo

(9h35) A Irmandade Muçulmana, partido de oposição no Egito, rejeitou nesta segunda-feira (21) uma reforma feita no governo e pediu a eliminação dos antigos membros do gabinete indicados pelo presidente deposto Hosni Mubarak.

Polícia argelina reprime com violência manifestação de estudantes

(9h25) A polícia argelina utilizou a força para reprimir uma concentração de estudantes que protestavam diante do Ministério de Ensino Superior em Argel, informou o site do jornal "El Watan". Centenas de estudantes reuniram-se diante da sede do ministério no início da manhã para exigir a derrogação de um decreto presidencial que reorganiza as titulações referentes ao ensino superior.

Manifestante xiita morre em Manama

(9h23) Redha Mohamed, 20, um manifestante xiita ferido a tiros na cabeça na sexta-feira, faleceu nesta segunda-feira em um hospital de Manama, anunciou à AFP uma fonte da oposição. Os médicos já haviam informado que Redha estava com morte cerebral depois de ter sido atingido por soldados, informou Abdel Khalil Khalil Ibrahim, líder da bancada parlamentar do Wefaq.

França pede que seus cidadãos deixem a Líbia

(9h01) A França está fechando as escolas francesas na Líbia e pedindo a seus cidadãos que voltem para casa, segundo o ministro de Assuntos Europeus, Laurent Wauquiez. Cerca de 30 franceses foram retirados da cidade de Benghazi, no leste do país, onde está havendo uma violenta repressão às manifestações de protesto. Eles foram levados para Trípoli.

Londres convoca embaixador líbio para protestar contra repressão

(8h54) O governo britânico convocou o embaixador líbio em Londres para formalizar seu protesto contra a brutal repressão das manifestações contra o regime de Muamar Gaddafi e pedir que os responsáveis sejam julgados, indicou nesta segunda-feira o ministro das Relações Exteriores, William Hague.

Vice-presidente da Duma convida Kadafi para se exilar em Moscou

(8h44) O vice-presidente da Duma, a Câmara dos Deputados da Rússia, Vladimir Jirinovski, convidou nesta segunda-feira o presidente líbio, Muammar Gaddafi, a deixar o poder e se exilar em Moscou. "Proponho que se mude para Moscou como local de residência permanente", afirma a declaração de Jirinovski, líder do ultranacionalista Partido Liberal Democrático, segundo informaram as agências russas.

Líbia: Após discurso de filho de Gaddafi, manifestações contra o governo intensificam-se

(8h42) Intensos tiroteios foram ouvidos na madrugada de segunda-feira (hora local) na capital líbia, Trípoli, e em vários bairros da cidade pela primeira vez desde que começaram os protestos contra o regime, informaram testemunhas e um jornalista da agência de notícias AFP. Segundo a agência de notícias Reuters, um grande edifício público estava em chamadas na capital. O prédio é o local onde o Congresso Geral do Povo, ou Parlamento, se reúne em Trípoli.

BP se prepara para evacuar parte de seus funcionários da Líbia

(8h29) A petroleira britânica BP se prepara para evacuar nas próximas 48 horas uma parte de seus funcionários da Líbia, onde emprega 140 pessoas - incluindo cerca de 40 estrangeiros. A BP está presente na Líbia desde 2007, quando fechou um acordo de exploração com a companhia petroleira nacional.

Opositor exilado Hassan Mashaima anuncia retorno ao Bahrein

(8h19) O opositor xiita bareinita exilado Hassan Mashaima, atualmente julgado à revelia por terrorismo, anunciou à AFP em Londres que voltará na terça-feira (22) ao Bahrein, cenário de uma revolta popular cada vez maior. "Decidi voltar a meu país. Estarei no aeroporto de Manama na terça-feira às 19h locais (13H00 de Brasília)", declarou Mashaima em entrevista.

"Exaltados" tentam imitar Tunísia, afirma mídia oficial chinesa

 (8h13) A imprensa oficial chinesa afirma nesta segunda-feira que "exaltados" tentaram no domingo "imitar a Revolução do Jasmim" da Tunísia e insiste que uma revolução na China é "impossível". "Não há vontade coletiva a favor de uma revolução na China", afirma o jornal "Global Times", conhecido por seu nacionalismo.

Para Amr Musa, Tunísia e Egito têm 'enorme influência' sobre mundo árabe

(8h) As revoltas populares na Tunísia e no Egito terão "uma enorme influência" sobre todo o mundo árabe, afirmou o egípcio Amr Musa, secretário-geral da Liga Árabe, em entrevista publicada nesta segunda-feira pelo jornal espanhol El País. Segundo ele, "a influência da grande revolução egípcia e da Tunísia, que iniciou tudo, será enorme".

Crise no Oriente Médio e países vizinhos

Na TV, filho de Gaddafi adverte para guerra civil na Líbia

(7h45) Sayf al Gaddafi, um dos filhos de Muammar Gaddafi, líder da Líbia, advertiu em um pronunciamento transmitido pela TV que o país poderá enfrentar uma guerra civil. Ele admitiu que a polícia e o Exército cometeram "erros" na repressão aos protestos, mas disse que o número total de mortes é muito menor do que o que tem sido divulgado. Ainda segundo ele, grupos de oposição e estrangeiros estavam tentando transformar a Líbia em um grupo de pequenos Estados.

Iêmen: manifestante é morto em Áden pelas forças de segurança

(7h44) Um manifestante que participava dos protestos contra o regime iemenita foi morto por disparos das forças de segurança na madrugada desta segunda-feira em Áden, principal cidade do sul do Iêmen, segundo fontes médicas.

Embaixadores da Líbia na Liga Árabe, na China e na Índia pedem demissão

(7h38) Em protesto ao governo da Líbia, os embaixadores do país na Índia, na China e na Liga Árabe (que representa 22 nações) pediram demissão nas últimas horas. Os diplomatas informaram, em momentos distintos, que são contrários à forma como o presidente líbio, Muammar Gaddafi, contém os manifestantes desde o último dia 15.

Turquia pede explicações à Líbia por acusações de instigar protestos

(7h29) A Turquia pediu explicações ao Governo líbio depois de ter recebido acusações de que cidadãos turcos estariam por trás dos protestos registradas no país árabe nos últimos dias. O governo dirigido desde 1969 pelo coronel Muammar Gaddafi responsabilizou pelas revoltas certos "grupos islâmicos" que servem às "forças sionistas" e afirmou que há cidadãos turcos entre eles.

UE estuda retirar cidadãos da Líbia

(7h25) A ministra espanhola de Assuntos Exteriores, Trinidad Jiménez, afirmou nesta segunda-feira em Bruxelas que a União Europeia (UE) estuda retirar seus cidadãos da Líbia, em particular da cidade de Benghazi, reduto dos opositores ao regime de Muamar Gaddafi.

Ulemás do Iêmen proíbem uso da força contra manifestantes

(7h03) Os ulemás do Iêmen condenaram as detenções arbitrárias e a tortura contra os manifestantes antigoverno, em um comunicado divulgado nesta segunda-feira (21). No documento, eles classificam a agressão como “crime”.

Presidente iemenita afirma que só deixará o poder pelas urnas

(6h58) O presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, no poder há 32 anos, afirmou em uma entrevista coletiva que só deixará o cargo "por meio das urnas", em um momento no qual manifestantes exigem sua renúncia. "Me pedem que saia, mas não sairei a não ser por meio das urnas", declarou Saleh à imprensa.

Ataque à sede de construtora sul-coreana em Trípoli deixa feridos

(6h44) A sede de uma construtora da Coreia do Sul em Trípoli, capital da Líbia, foi atacada na noite de domingo (20) deixando vários trabalhadores sul-coreanos e bengaleses feridos, dois deles gravemente, segundo informações oficiais de Seul.

Avião turco não pode aterrissar em Benghazi porque está em mãos rebeldes

(6h21) Um avião turco enviado à Líbia pelo Governo de Ancara para repatriar seus cidadãos que estão no país africano não pôde aterrissar no aeroporto de Benghazi por ele se encontrar supostamente nas mãos dos rebeldes, informou a rede "CNN-Turquia".

Ban Ki-moon pede respeito às liberdades no Norte da África e Oriente Médio

(6h16) O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu na noite de domingo o "não uso da força e o respeito às liberdades básicas" nos países do Norte da África e do Oriente Médio envolvidos em distúrbios políticos.

Presidente iemenita diz que mudança de regime "é inaceitável"

(6h16) O presidente iemenita, Ali Abdala Saleh, afirmou hoje que uma mudança de regime no país "é inaceitável" e disse que quem está protagonizando os protestos políticos contra seu Governo "são uma minoria". Segundo Saleh, os manifestantes devem “mudar o regime” através das “urnas”.

Violência já deixou 233 mortos na Líbia, diz ONG

(05h02) O número de mortos nos quatro dias de confrontos entre manifestantes e as forças de segurança da Líbia chegou a 233, informou a organização Human Rights Watch. Fontes ouvidas pela organização em dois hospitais na cidade de Benghazi, a segunda maior do país, relataram que mais de 60 pessoas morreram apenas no domingo (20), um dos dias mais violentos dos protestos.

 

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos