PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Governo do Iraque tenta enfraquecer manifestação organizada para amanhã

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

24/02/2011 17h49

Sob a onda de protestos que avança nos países muçulmanos, o primeiro-ministro do Iraque, Nuri Al Maliki, apelou hoje (24) à população para não participar do protesto organizado para amanhã (25), denominado “Dia da Ira”. Maliki acusou os manifestantes de serem simpatizantes do ex-ditador iraquiano Saddam Hussein, já morto, e de “terroristas”.

Os manifestantes convocaram o ato de amanhã para protestar contra a falta de serviços públicos. Com mensagens em redes sociais, na internet, os organizadores da manifestação afirmam que protestam por causa da corrupção, do desemprego e da falta de água potável e eletricidade.

“A minha preocupação é proteger a todos e contrariar os planos dos inimigos do país, peço que não participem”, afirmou Maliki. “Isso não quer dizer que não possam exercer o direito de se manifestar. Podem fazê-lo quando quiserem e onde quiserem, à exceção dessa manifestação [de sexta-feira] organizada pelos apoiadores de [Saddam Hussein], de terroristas e da Al Qaeda”, disse Maliki.

Também hoje o presidente da Líbia, Muammar Gaddafi, acusou o grupo terrorista Al Qaeda de organizar os protestos que se espalharam pelas cidades líbias. Segundo ele, o objetivo é desestabilizar o governo.

Crise no Oriente Médio e países vizinhos


*Com informações da Agência Lusa

Internacional