Terremoto no Japão

Crise em usina está perto de se estabilizar, mas problemas com radiação durará décadas

Do UOL Notícias*

Em São Paulo

A Comissão Reguladora da Energia Nuclear (NRC) dos EUA afirmou nesta segunda-feira que os sistemas de contenção em três reatores da usina nuclear japonesa de Fukushima estão intactos e que a crise está perto de se estabilizar.

"A contenção nos reatores 1, 2 e 3 parece estar funcionando", assinalou o diretor-executivo da NRC, Bill Borchardt, em reunião da comissão para informar sobre a crise no Japão e delinear um plano para revisar os 104 reatores nucleares dos EUA, conforme a ordem dada na quinta-feira pelo presidente Barack Obama.

No entanto, segundo a Autoridade de Segurança Nuclear francesa (ASN), o vazamento radioativo da usina de Fukushima traz problemas significativos e é uma fonte de contaminação com a qual o Japão terá que "conviver durante dezenas e dezenas de anos."

Segundo o presidente da ASN, André-Claude Lacoste, estas emissões estão ligadas, em parte, a "descompressões voluntárias" - emissões de vapor que contêm partículas radioativas - destinadas a reduzir a pressão nos reatores acidentados para evitar que o recinto que as cerca seja destruído. Além disso, há outras fugas de origem indeterminada, segundo a ASN.

Devido à amplitude destas emissões, em torno da central, "os depósitos de partículas radioativas no solo serão importantes", preveniu Jean-Luc Godet, da direção de irradiações ionizantes e da saúde (ASN).

"Levando em conta a meteorologia, é provável que a contaminação tenha chegado mais além, a até uma centena de quilômetros", segundo Godet.

A ASN só dispõe de "informações muito parciais sobre a contaminação de produtos alimentares", mas algumas mostram que "as verduras já o foram", disse

Progressos lentos para controlar crise

O primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, assegurou nesta segunda-feira que há progressos "lentos, mas firmes" para controlar a crise na usina nuclear de Fukushima, onde seguem os trabalhos para esfriar os reatores e restaurar a eletricidade.

A usina continua sofrendo problemas na maioria de seus seis reatores, apesar das unidades 5 e 6 já terem acesso a eletricidade para ativar os sistemas de refrigeração.

A empresa operadora da usina, a Tepco, procura restabelecer a provisão elétrica nos reatores 1 e 2 com cabos externos, da mesma forma que nas unidades 3 e 4.

A NRC explicou que, embora especialistas americanos acreditem que vários reatores foram danificados de alguma maneira por causa do terremoto de 9 graus na escala Richter, a estrutura de contenção ao redor do núcleo radioativo está intacta em grande medida.

Por sua parte, a NRC pretende revisar durante 90 dias a segurança nos reatores americanos. Um relatório com as conclusões preliminares seria publicado após os primeiros 30 dias de avaliação.

Depois da revisão, a NRC poderia recomendar a implementação de mais medidas de segurança.

*Com informações da EFE e da AFP

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos