Terremoto no Japão

Água acumulada em reator de usina nuclear no Japão começa a ser drenada

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

A Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea) anunciou hoje (27) que já começou a drenagem da água acumulada no edifício da turbina do reator 1 da usina nuclear de Fukushima, algo essencial para que continuem os trabalhos para devolver a provisão elétrica à central.

Em comunicado emitido de Viena, a Aiea indicou que as autoridades japonesas informaram que a Tepco começou a bombear a água acumulada para um condensador, que recolhe o vapor que passa através da turbina.

O organismo atômico da ONU explicou também que está sendo preparado o início dessa operação de bombeamento no reator 2 e que estão conseguindo retirar a água dos edifícios das turbinas 3 e 4.

"A extração da água dos edifícios das turbinas é um passo importante para continuar com a restauração da energia à central", explicou a Aiea em seu comunicado.

Nos esforços por esfriar os reatores foram bombeadas toneladas de água, que se acumularam em diferentes áreas.

Na quinta-feira passada, três trabalhadores ficaram feridos no reator 3 ao serem expostos à água contaminada com níveis de radioatividade 10 mil vezes superior ao normal.

Nível alto de radioatividade

Um nível de radioatividade 10 milhões de vezes maior que o normal foi encontrado neste domingo (27) na água do reator 2 da Usina de Fukushima, no Japão. Por isso as operações foram suspensas e os funcionários evacuados nesta parte da usina.

Segundo um funcionário de Fukushima, o alto nível de radiação na água significa que o combustível no núcleo do reator provavelmente sofreu danos durante o começo de fusão que aconteceu logo após o terremoto do dia 11 de março.

“Encontramos nas amostras de água taxas elevadas de césio e de outras substâncias que geralmente não se encontram na água do reator. Existe uma forte possibilidade de as barras de combustíveis terem sido danificadas”, disse.

As autoridades do noroeste da China detectaram a presença de iodo radioativo no ar, mas em quantidade extremamente pequena que “não requerem medidas de proteção”, segundo o Ministério do Meio Ambiente. Para as autoridades chinesas, o material radioativo é originário do Japão.

Nível de radiação a que estamos expostos e seus efeitos

  • Fonte: The Guardian e Radiologyinfo.org

*Com informações das agências internacionais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos