Topo

Lula recebe prêmio em Portugal e pede uma "ONU mais representativa"

Armando Franca/AP
O ex-presidente Luiz Inádio Lula da Silva recebeu o prêmio "Norte Sul" no Parlamento português em Lisboa Imagem: Armando Franca/AP

Juliana Iorio<br>Especial para o UOL Notícias

Em Lisboa

2011-03-29T11:39:44

29/03/2011 11h39

O ex-presidente do Brasil, Luís Inácio Lula da Silva, recebeu nesta terça-feira (29), em Lisboa, o Prêmio Norte-Sul do Centro Norte-Sul do Conselho da Europa, na Assembleia da República portuguesa .

Em seu discurso na cerimônia, Lula disse que, apesar de avanços significativos na área de direitos humanos, ainda considera que há muito por fazer. O ex-presidente do Brasil disse que “é preciso mudar” e ter mais consideração com os países da África, do Oriente Médio, da América Latina e outros países da Europa. Por fim, Lula pediu “uma ONU mais representativa”, num “mundo mais democrático”.

Lula afirmou também que o desenvolvimento econômico tem que estar a serviço da redução das desigualdades sociais e que os países emergentes têm demonstrado que isto é possível. “É preciso banir, definitivamente práticas frouxas de supervisão das instituições financeiras, que provocaram a crise de 2008”, enfatizou.

O presidente da República portuguesa, Aníbal Cavaco Silva, também citou os acontecimentos na margem sul do mediterrâneo, dizendo que estes “nos alertam para os riscos que advêm de sistemas políticos baseados na intolerância, no autoritarismo e ausência de garantias fundamentais ao exercício dos direitos civis e políticos”, e referiu-se ao ex-presidente do Brasil como aquele que promoveu, à escala global, a luta contra a pobreza. “Lula da Silva demonstrou que é possível promover, eficazmente, o crescimento econômico e o desenvolvimento, sem esquecer os mais desfavorecidos”, ressaltou Cavaco Silva.

Sobre o prêmio

O prêmio que o ex-presidente do Brasil recebeu é atribuído anualmente pelo Centro Norte-Sul do Conselho da Europa e distingue personalidades que contribuem pelas suas ações e exemplos, para a promoção da solidariedade e interdependência mundiais. No ano passado, este prêmio foi atribuído ao ex-presidente da extinta União Soviética, Mikhail Gorbatchev.

Lula foi homenageado pelo dinamismo que imprimiu às relações Sul-Sul e por ter conduzido uma política externa apostada em promover, à escala global, a luta contra a pobreza e a promoção do desenvolvimento econômico e da equidade social.

Além de Lula, a jurista Louse Arbour também foi distinguida pelo seu percurso em prol da defesa dos direitos humanos. Arbour  foi  procuradora da ONU para o tribunal Penal Internacional nos casos de genocídio da Yugoslávia e de Ruanda e comissária da ONU para os Direitos Humanos entre 2004 e 2008. Arbour agradeceu a oportunidade de partilhar este prémio com o ex-presidente Lula, porque considera que o mesmo foi um exemplo para toda a América Latina, e lembrou o diplomata brasileiro Sérgio Vieira de Melo, morto em Bagda, que muito lutou pelos direitos humanos.

O Centro Norte-Sul é o único organismo internacional com sede em Lisboa e foi criado para proporcionar um quadro para a cooperação européia em matéria de sensibilização da opinião pública para questões de interdependência e solidariedade mundiais, em conformidade com os princípios do Conselho da Europa.

Mais Internacional