Terremoto no Japão

Pó absorvente será usado para frear vazamento em usina

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Os técnicos da Tepco, a operadora da usina nuclear de Fukushima, no Japão, planejam utilizar polímero em pó, altamente absorvente, para frear o escapamento de água radioativa ao mar, após tentar sem sucesso conter esse vazamento com concreto.

No sábado foi encontrada uma rachadura de cerca de 20 centímetros no muro de uma fossa próxima ao reator, na qual há água com elevada radioatividade (um nível de iodo 131 que excede 10 mil vezes a concentração legal) que vaza para o oceano.

Os técnicos tentaram cobrir a rachadura com o uso de concreto, mas a contínua presença de água impediu que o material se solidificasse.

Por isso, foi decidido injetar neste domingo polímero em pó nos encanamentos que conduzem à fossa, situada perto da tomada de água do reator 2 e que contém cabos elétricos, informou a agência local "Kyodo".

Os especialistas acreditam que a água que inunda tanto a fossa como o porão do prédio da unidade 2 provém do núcleo do reator, dada sua elevada radioatividade.

Segundo um  porta-voz da Tepco, as fossas das outras unidades da usina nuclear não mostram fendas similares.

Corpos de funcionários

Os corpos de dois funcionários da Tepco foram encontrados em uma das unidades da usina nuclear de Fukushima na última quarta-feira. No entanto, a informação foi divulgada apenas neste domingo. Os trabalhadores, de 21 e 24 anos, estavam desaparecidos desde o tsunami que atingiu o país no dia 11 de março.

Até o momento, o número de mortos por causa do terremoto e do tsunami é de 12.009, segundo o último cálculo da Polícia japonesa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos