Terremoto no Japão

Empresa usa serragem e jornal picado para tentar conter vazamento em usina no Japão

Do UOL Notícias
Em São Paulo

Os trabalhadores da usina nuclear de Fukushima, no Japão, estão usando um polímero misturado com jornal picado e serragem para tentar fechar os túneis por onde a água radioativa fluía até vazar na fossa de concreto, segundo o jornal inglês Telegraph. Dalí, o líquido caía no mar. Uma primeira tentativa de acabar com o vazamento usando cimento falhou.

“Até agora, ainda não sabemos com certeza se o volume de água que vazava foi reduzido, afirmou Hidehiko Nishiyama, porta-voz da Agência de Segurança Industria e Nuclear do Japão. 

A Tokyo Electric Power (Tepco), a operadora da usina nuclear de Fukushima, também usou líquido com corante em um túnel próximo ao reator dois da central para tentar determinar a rota pela qual a água radioativa vaza para o mar.

Segundo a televisão "NHK", os funcionários verteram o líquido de cor branca em um túnel que conduz à fossa onde este sábado foi detectada uma rachadura de cerca de 20 centímetros, que permite que água com uma elevada radioatividade escape para o mar.

O objetivo do corante é poder seguir a rota exata pela qual chega ao mar a água contaminada, que por causa de seu elevado nível de radioatividade se acredita que poderia proceder do núcleo do reator 2.

As últimas amostras coletadas no mar mostram que as águas apresentam radiação até 4.000 vezes mais alta do que o normal. 

Os funcionários da usina de Fukushima estão trabalhando contra o relógio para recuperar o controle sobre os quatro reatores nuclear que foram danificados pelo terremoto e tsunami que devastaram a região no Japão. 

Por problemas nos sistemas de resfriamento que causaram derretimentos e explosões nos reatores, a região de Fukushima enfrenta uma crise nuclear, por causa do vazamento de materiais radioativos. 

As autoridades locais afirmam que, por enquanto, os frutos do mar japoneses não apresentam risco à saúde pública por causa da restrição imposta à pesca. 

Cientistas também dizem que as correntes oceânicas irão rapidamente diluir o iodo-131 – material extremamente radioativo – eliminando riscos para a saúde humana e para o meio ambiente. 

A Tepco começou a jogar no mar, na noite desta segunda-feira (4), 11.500 toneladas de água radioativa que estava acumulada na usina, informou a imprensa japonesa.

Um porta-voz da Tepco afirmou que 10.000 toneladas de água depositada nas piscinas e 1.500 toneladas atualmente nos reatores 5 e 6 seriam jogadas no Oceano Pacífico. A fonte afirmou, no entanto, que a água tem pequeno nível de radioatividade.

"Não temos outra opção a não ser jogar esta água contaminada no Oceano como medida de segurança", afirmou o porta-voz do governo, Yukio Edano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos