Terremoto no Japão

Assessor nuclear do governo japonês pede demissão por discordar de decisões em relação à Usina de Fukushima

Renata Giraldi
Da Agência Brasil

Em Brasília

 

O professor da Universidade de Tóquio Toshiso Kosako, um dos principais assessores da área nuclear do governo do Japão, renunciou ao cargo por discordar da política adotada pelo governo referente ao setor.

Kosako criticou o primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, e disse que seu pedido de demissão era em protesto ao que chamou de “manipulação e improviso” em relação às medidas adotadas após os acidentes nucleares que ocorreram devido ao terremoto de março.

As informações são da rede estatal de televisão do Japão, NHK. Segundo Kosako, o governo tem menosprezado a lei. Em uma reunião na Câmara dos Deputados, o primeiro-ministro afirmou hoje (30) que a renúncia de Kosako foi provocada por desentendimentos com outros cientistas. Ele não mencionou as críticas do professor ao governo.

De acordo com Kan, as medidas adotadas pelo governo seguiram os pareceres da Comissão de Segurança Nuclear e não houve improvisos. Porém, segundo Kosako, o Ministério da Educação errou ao permitir que alunos de escolas primárias na província de Fukushima fizessem atividades ao ar livre e fossem, assim, submetidos a um elevado nível de radiação.

Kosako afirmou ser impossível concordar com a exposição à radiação imposta aos trabalhadores que atuaram na Usina Nuclear de Fukushima Daiichi.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos