Terremoto no Japão

Técnicos avançam em edifício de reator de Fukushima para instalar barreiras antirradiação

Do UOL Notíicas*

Em São Paulo

Os técnicos conseguiram avançar no edifício onde está instalado um reator da central nuclear de Fukushima, anunciou nesta segunda-feira a Tokio Electric Power (Tepco), empresa que administra a usina.

A empresa de energia elétrica informou que pretende instalar barreiras antirradiação para proteger os funcionários que estão construindo um novo sistema de resfriamento. Quase dois meses depois do acidente nuclear, o reator 1 da usina ainda continua instável.

"É a primeira etapa para preparar a instalação de um sistema de resfriamento", declarou um porta-voz da Tepco.

Segundo a operadora, os níveis de radiação continuam "estáveis e leves" perto do local desde a abertura do edifício, no domingo à noite.

A Tepco pretende construir um novo sistema de resfriamento em circuito fechado até o exterior do reator para regular a temperatura e impedir o vazamento de água contaminada.

A operadora espera concluir o trabalho no prazo de um mês, segundo a imprensa, com o objetivo final de estabilizar a situação até janeiro de 2012.

Até o momento, as equipes da Tepco, auxiliadas por bombeiros e militares, esfriaram os reatores com caminhões-tanque e sistemas provisórios muito precários. A grande quantidade de água radioativa que inunda o local deve ser bombeada constantemente.

Usina de Hamaoka suspende operações devido a risco sísmico

Enquanto os funcionários trabalham para reparar os estragos causados pelo tsunami na usina de Fukushima, a operadora da usina nuclear de Hamaoka (sudoeste de Tóquio) aceitou nesta segunda-feira o pedido do governo japonês de suspender as operações dos seus reatores devido ao risco sísmico na região onde está localizada, informou a agência "Kyodo".

A administradora da usina, a Chubu Electric Power, tinha adiado este fim de semana sua decisão sobre a reivindicação formal realizada na sexta-feira pelo primeiro-ministro japonês, Naoto Kan.

Ao contrário da usina nuclear de Fukushima (nordeste do Japão), Hamaoka não foi danificada pelo terremoto nem pelo devastador tsunami do dia 11 de março, mas fica em uma área com risco de sofrer um terremoto de 8 graus nos próximos 30 anos.

Governo japonês libera pesca em área próxima a Fukushima

O governo japonês liberou a pesca em águas além do perímetro de restrição de 30 quilômetros imposto ao redor da usina nuclear de Fukushima Daiichi, informa a rede "NHK".

Segundo a Agência de Pesca do Japão, uma análise da Comissão de Segurança Nuclear apontou que uma pessoa que trabalhe mar adentro ficaria exposta a um máximo de 1,13 milisieverts de radiação ao ano e que, aqueles que trabalhem ao longo da costa, sempre a mais de 30 quilômetros da central, seriam expostos a um máximo de 1,43 milisieverts.

Embora esses níveis sejam mais altos que a quantidade estabelecida normalmente como limite anual para as pessoas, 1 milisievert ao ano, a comissão considerou que não causariam danos à saúde.

Mesmo assim, o organismo aconselha que os pescadores meçam a radiação enquanto trabalham e que se cubram para reduzir a exposição da pele.

Além disso, a Agência de Pesca japonesa revisará junto a indústrias locais os níveis de radiação no pescado e no marisco que for capturado acima das latitudes da província de Kanagawa, a oeste de Tóquio.

*Com informações da Efe

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos