Terremoto no Japão

Terremoto atinge Fukushima; funcionário de usina nuclear morre

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Um terremoto de 5,7 pontos na escala Richter atingiu a costa da província japonesa de Fukushima na manhã deste sábado (14), mas não há relatos sobre danos na região ou nas duas usinas nucleares localizadas na área. O tremor ocorreu às 8h36 no horário local (20h36 em Brasília) e seu epicentro foi localizado em frente à costa de Fukushima, a uma profundidade de 30 quilômetros. Não foi gerado alerta de tsunami, segundo informou a Agência Meteorológica do Japão.


Um trabalhador da usina de Fukushima morreu hoje após perder a consciência enquanto carregava materiais em um edifício da central, informou a agência japonesa "Kyodo". A Tokyo Electric Power Company (Tepco), operadora da usina, indicou que não foram encontrados resíduos de substâncias radioativas no corpo do funcionário, que não apresentava feridas aparentes. O operário perdeu a consciência uma hora depois de iniciar sua jornada de trabalho, às 6h locais (18h de sexta-feira no horário de Brasília), quando entrava em uma sala médica das instalações da usina de Fukushima.

O terremoto deste sábado foi sentido em Tóquio e na maior parte do nordeste japonês, com intensidade relativamente baixa. A região é castigada por frequentes tremores desde 11 de março, quando o terremoto de 9 graus e o posterior tsunami devastaram a costa noroeste do Japão e provocaram o grave acidente na usina nuclear de Fukushima.

Desde 11 de março, o Japão sofreu mais de 500 réplicas superiores a 5 pontos na escala Richter, a maioria das quais gerou mais angústia entre a população do que danos.

Nível de radiação a que estamos expostos e seus efeitos

  • Fonte: The Guardian e Radiologyinfo.org

Usina fechada

A pedido do Governo, a usina nuclear de Hamaoka, que fica 200 quilômetros ao sul de Tóquio, paralisou totalmente as atividades nos dois reatores que mantinha em operação.

A Chubu Electric, operadora da central, interrompeu as reações de fissão do reator 5 no começo da manhã deste sábado ao inserir as chamadas barras de controle no núcleo, o que detêm o processo de geração de energia. Antes disso, na sexta-feira a companhia havia paralisado com sucesso a unidade 4.

A usina de Hamaoka está situada em um ponto de confluência de placas tectônicas e há um alto risco de ser atingida por um terremoto de até 8 pontos na escala Richter nos próximos 30 anos.

A Chubu Electric foi obrigada a submeter-se às exigências do Governo, que na semana passada, em uma decisão sem precedentes, pediu que a central fosse fechada temporariamente para evitar maiores riscos após a crise nuclear na central de Fukushima, gravemente danificada pelo terremoto de 9 graus de 11 de março.

Hamaoka, que não foi afetada por esse devastador terremoto, contava com três reatores de mais de 1 mil megawatts de potência, embora só dois estivessem ativos, já que a unidade 3 se encontrava sob revisão de rotina desde novembro.

*Com agências internacionais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos