Terremoto no Japão

Técnicos fazem operação para ter acesso a reator de usina no Japão

Da Agência Brasil*

Em Brasília

A empresa que administra a Usina Nuclear de Fukushima Daiichi, no Japão, a Tokyo Electric Power Co (Tepco), abriu nesta segunda-feira (20) de madrugada as portas do edifício onde está o reator 2. O objetivo é tentar reduzir a umidade que se concentra no local. A operação já dura mais de oito horas. Amanhã (21) se completam 100 dias da maior tragédia da história recente do Japão. Pelo menos 25 mil pessoas desapareceram em decorrência do terremoto seguido por tsunami, em 11 de março.

Com a operação, os especialistas querem conter a poeira radioativa, descontaminar a área e medir os níveis de radiação e, assim, ajustar os equipamentos de medição. A Tepco também planeja injetar nitrogênio nessa unidade para evitar eventuais explosões.

Paralelamente, a direção da Tepco vai tentar reduzir os níveis elevados de radiação detetados no fim de semana no edifício do reator 4 – que estava parado desde o dia 11 de março, quando houve o terremoto seguido por tsunami provocando os abalos na usina gerando os acidentes nucleares.

O objetivo do comando da Tepco é descontaminar a água acumulada nos reatores 1, 2 e 3 onde há mais de 110 mil toneladas de material radioativo. A água, segundo as autoridades, será usada para refrigeração da usina. A previsão é que o trabalho acabe em 2012.

Desde os vazamentos e explosões nucleares, cidades inteiras ao redor da usina foram esvaziadas. As autoridades japonesas proibiram o consumo de água e alimentos oriundos da área. O objetivo é evitar o risco de contaminação radioativa na região.

* Com informações da Agência Lusa e da NHK

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos