Terremoto no Japão

Japão identifica contaminação radioativa no fundo do mar

Renata Giraldi

Da Agência Brasil <BR> Em Brasília

Especialistas que trabalham na contenção de vazamentos radioativos na Usina de Fukushima Daiichi, no Nordeste do Japão, identificaram nesta terça-feira (28) a contaminação no fundo do mar, em área próxima ao complexo, pelo elemento químico estrôncio. A exposição ao estrôncio pode causar câncer nos ossos.

A informação foi divulgada pela Tokyo Electric Power Company, que administra a usina, segundo a rede estatal de televisão NHK. De acordo com a empresa, o estrôncio foi identificado e 20 quilômetros da usina e em dois locais diferentes no mar.

Desde 11 de março, quando houve o terremoto seguido por tsunami no país, a estrutura da usina sofreu abalos, causando explosões e vazamentos na região. De acordo com especialistas, é possível que ocorra contaminação por estrôncio também no solo na região próxima à usina.

Shigeharu Kato, um dos integrantes da Comissão de Segurança Nuclear do governo, disse que mais exames serão feitos para identificar como as substâncias se acumulam nas plantas e em animais marinhos. O Ministério da Pesca fará pesquisas à parte, segundo o especialista. Por enquanto, não foi identificado estrôncio radioativo em peixes e frutos do mar nas amostras colhidas ao sul do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos