PUBLICIDADE
Topo

Animais do zoológico de Trípoli sofrem de subnutrição devido aos distúrbios na cidade

UOL Notícias

Em São Paulo

01/09/2011 20h06

Animais de zoológico são, em geral, os primeiros a serem esquecidos quando cidades são atingidas por desastres naturais ou humanos. A situação não é diferente em Trípoli, capital da Líbia, segundo constatou um repórter da CNN.

Em uma visita ao zoo da cidade, Nic Robertson encontrou os portões trancados e foi informado de que o local estava em reforma e que os animais haviam sido retirados.

Um rugido de felino ao longe desmentiu a versão. Robertson seguiu o som -- acompanhado de ecos de tiros à distância -- e encontrou cercas com tigres, leões, tartarugas gigantes, hipopótamos, hienas, ursos, macacos, veados e outros animais, todos subnutridos e brigando enquanto esperavam pela comida e água que não chegavam.

Um tigre, com a pele caindo, vagava por sua cerca assim que sentia a presença de visitantes.

“Olhando para ele enquanto caminhava se percebia o quanto estava magro, as patas traseiras eram só pele e osso”, disse Robertson.

“Não havia ninguém para dizer com que frequência os animais eram alimentados, e com que quantidade de comida. Não se sabe nem se há um veterinário para cuidar deles”, acrescentou.

Durante a visita da CNN, o guarda do zoológico revelou que os animais chegaram a ficar até sete dias sem comer devido aos distúrbios na capital líbia. Agora, dez dos 200 funcionários do local voltaram e estão tentando alimentá-los.

Água é a necessidade mais urgente dos animais, segundo Robertson. “Sem ajuda, todos eles vão continuar sofrendo nestas temperaturas.”

Internacional