PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Atirador de Oakland não conseguia "lidar com as mulheres", segundo ex-professor

Do UOL, em São Paulo

04/04/2012 13h03

One Goh, o ex-estudante acusado de matar sete pessoas e ferir três em um tiroteio na Universidade de Oikos, uma pequena instituição cristã de Oakland, no Estado americano da Califórnia, era atormentado por uma inabilidade para lidar com mulheres, segundo informações da rede MSNBC.

O homem de 43 anos, de origem coreana e naturalizado americano, é ex-estudante de Oikos, de onde havia sido expulso por “comportamento agressivo”, segundo Howard Jordan, delegado de polícia de Oakland.

A Universidade de Oikos, fundada por um pastor da Coreia do Sul, possui cerca de cem estudantes e tem laços fortes com a comunidade cristã americana e coreana dos EUA. Seus cursos estão relacionados com religião, música, enfermaria e medicina asiática.

Segundo Romie Delariman, ex-professor de enfermagem de Goh citado por um jornal, o ex-estudante não se adequava em um curso onde mulheres formavam a maior parte do corpo discente.

Delariman descreveu Goh como um estudante bom e disciplinado, mas reiterou que ele “não conseguia lidar com as mulheres. Eu sempre o aconselhava: ‘Você vem para a escola para aprender, não para fazer amigos’”.

O professor também contou que Goh vivia atormentado por causa de seu inglês imperfeito, e caracterizou este problema como comportamental.

“Ele não consegue lidar com pessoas. Se você perguntar como ele está, ele responderá: ‘Por quê? Não pareço bem? Fiz alguma coisa?’”

Segundo a polícia, o principal alvo de Goh – uma funcionária – escapou ilesa do tiroteio, e as três pessoas feridas no ataque tiveram alta do hospital ontem.

Homenagem

Cerca de mil pessoas se reuniram na terça para uma homenagem às vítimas em uma igreja batista. O prefeito Jean Quan, em seu discurso, afirmou que o episódio de Oakland poderia ter ocorrido em qualquer outro lugar dos Estados Unidos.

“Isto é América, onde você pode encontrar uma arma mais facilmente do que serviços psiquiátricos”, disse.

Na segunda-feira (2), Goh entrou em uma das salas de aula da universidade e ordenou aos alunos que ficassem contra uma parede antes de sacar uma pistola semiautomática.

O detido abandonou o local e se transferiu em seu automóvel até um supermercado da cidade de Alameda, a cerca de 10 quilômetros da universidade, onde anunciou que tinha atirado em várias pessoas e que deveria ser preso.
 

Internacional