PUBLICIDADE
Topo

Internacional

"Serei o presidente de todos os franceses", diz Hollande após vitória na França

Do UOL, em São Paulo

06/05/2012 16h40Atualizada em 06/05/2012 17h31

Em seu primeiro discurso como novo presidente da França, o socialista François Hollande agradeceu a confiança dos eleitores que o elegeram o novo presidente francês, derrotando Nicolas Sarkozy, e disse que o país "escolheu a mudança". "A mudança começa agora", declarou ele, afirmando que será "o presidente de todos os franceses".

Durante o discurso, feito em Tulle, na França, para centenas de partidários, ele reforçou o compromisso com algumas de suas principais promessas durante a campanha. 

"Acesso aos serviços de saúde, igualdade, priorizar a educação serão meus compromissos, além de mudanças ecológicas que precisamos realizar. Precisamos liderar a  Europa para o futuro", declarou Hollande, que ainda prometeu amenizar as impopulares medidas de austeridade impostas para conter os efeitos da crise econômica.

Durante a campanha, Hollande defendeu medidas para promover o crescimento no atual tratado de austeridade fiscal acertado por 25 dos 27 países da União Europeia, mas no discurso desta noite confirmou seu compromisso com "a redução do déficit e da dívida", com uma "recuperação de nossa capacidade de produção" para sair da crise.

"As pessoas esperam por esse momento há anos, outros, mais jovem, não viveram épocas como essa. Muitas pessoas tiveram muitas decepções, e eu me sinto feliz em poder trazer esperança", declarou Hollande.

Sobre o adversário, que buscava a reeleição, Hollande agradeceu Sarkozy por governar o país com "devoção". “Aos que não me deram seu voto, que saibam que eu respeito suas convicções e que serei o presidente de todos. Esta noite não há duas Franças que se enfrentam. Há apenas uma França, uma nação reunida no mesmo destino. Cada um e cada uma terão igualdade de direitos e de deveres”, disse.

O socialista disse ainda que "o dia 6 de maio deve ser um grande dia para o país, um novo começo para a Europa, uma nova esperança para o mundo". 

Hollande terminou seu discurso dizendo que "o sonho francês chama-se simplesmente progresso", e que ele, em suas palavras, sempre foi um homem de esquerda.

Após o fechamento dos colégios eleitorais, às 20h (15h no horário de Brasília), diferentes institutos confirmavam a vitória de Hollande. Segundo o instituto CSA, o socialista obteve 51,8% dos votos, para o Ipsos 51,9% dos votos e para o TNS Sofres, 52%.

Hollande será o segundo presidente socialista eleito no país e traz a esquerda de volta ao poder após um hiato de 17 anos. Antes dele, o primeiro socialista eleito presidente foi o francês François Mitterrand.

Dados preliminares do Ministério do Interior francês mostram que a participação dos eleitores superou 78%, um pouco acima do comparecimento do primeiro turno, que fora de cerca de 70,59%.

Sarkozy desejou boa sorte ao adversário

O atual presidente da França, Nicolas Sarkozy, adiantou seu discurso inicialmente previsto para as 21h30 (16h30 no horário de Brasília)  deste domingo e reconheceu a derrota no segundo turno das eleições presidenciais para o rival, o socialista François Hollande.

“A França tem um novo presidente e nós temos que respeitar”, disse ele, aplaudido pelos eleitores. "Estou prestes a me tornar um francês entre os franceses", declarou.

No discurso, Sarkozy disse que assumia a responsabilidade pela derrota e também agradeceu a oportunidade de ser presidente durante cinco anos, e deixa o cargo como o segundo presidente a não conseguiu se reeleger no país nos últimos 30 anos. Além disso, ele torna-se o 11º líder a perder o poder depois da crise econômica na Europa.

Sarkozy disse ter ligado para Hollande e desejado sorte no seu primeiro mandato como presidente. "Uma nova era começa na França. (...) E vocês podem contar comigo para defender seus ideais", disse ele no discurso.

Quem é François Hollande

François Hollande ganhou força entre o eleitorado após defender a implementação de políticas de crescimento da economia para combater a crise que assola a Europa. O político de 58 anos nascido em Rouen, no norte da França, entrou para o Partido Socialista (PS) aos 25 anos e foi primeiro-secretário da legenda entre 1997 e 2008. Em 1988, foi eleito deputado por Corrèze, departamento no centro da França. Em 1997, uma nova eleição o levou ao mesmo posto. Acumulou os cargos de prefeito de Tulle – capital de Corrèze – entre 2001 e 2008 e de presidente do conselho geral de Corrèze, desde 2008. Foi ainda eurodeputado entre julho e dezembro de 1999.

Hollande foi escolhido candidato do PS às presidenciais depois que o ex-presidente do Fundo Monetário Internacional Dominique Strauss-Kahn se viu envolvido em um escândalo de agressão sexual. A escolha de Hollande ocorreu nas primeiras primárias socialistas abertas à população.

Entre os pontos de seu programa estão a criação de uma agência europeia para regulamentar o sistema financeiro, a redução do uso da energia nuclear de 75% para 50% na produção energética nacional, a construção de 500 mil moradias por ano e a regularização de imigrantes ilegais com base em critérios objetivos (emprego, moradia e tempo de residência na França).

Internacional